Publicado em 14/06/2013 as 12:00am

Calendário inglês exaure Oscar e atrapalha preparação da seleção

Calendário inglês exaure Oscar e atrapalha preparação da seleção

A falta de uma parada de inverno na Premier League, a Liga Inglesa, causa longos debates em Londres e adjacências todas as vezes em que o English Team disputa um torneio sem jogadores importantes – a maioria absoluta de seus selecionáveis tem base doméstica. No entanto, a maratona inglesa agora também tem reflexos na seleção brasileira. E justamente em seu principal articulador: com 72 jogos registrados na temporada europeia, o meia Oscar tem recebido "refrescos" de Felipão tanto em treinos quanto em jogos.

O ex-jogador de Internacional e São Paulo foi substituído nos dois amistosos preparatórios para a Copa das Confederações em solo brasileiro (Inglaterra e França). Depois do jogo contra os ingleses, por sinal, Felipão disse publicamente que estava poupando o jogador.  "O Oscar vem de mais de 70 jogos, temos que ver isso", lembrou o treinador. No treino de quinta-feira, em Brasília, o jogador estava sentado à beira do campo ao lado de Fred quando a sessão foi enfim aberta para a imprensa.

"Foi uma temporada dura, mas a gente tem que achar energia para a seleção", disse Oscar recentemente ao UOL Esporte no centro de treinamento do Chelsea. A equipe inglesa sofreu ainda mais com os rigores do calendário nacional, o único das grandes ligas europeias que não tem paradas, porque o Chelsea disputou não apenas a Liga dos Campeões como também a Liga Europa, da qual se sagrou campeão.

David Luiz, companheiro de equipe de Oscar no Chelsea e na seleção brasileira, também teve uma temporada atribulada, mas ao contrário do meia não participou das Olimpíadas de Londres, que somou seis partidas ao total de jogos de Oscar no ano.

A situação do calendário inglês também respinga na Espanha. "A gente chega bem exaurido no final de uma temporada, mas não pode nem de longe pensar em não representar nosso país numa competição tão importante como a Copa das Confederações", explica o meia Juan Mata, também do Chelsea.

Se o Brasil conta com apenas três "ingleses" em seu elenco atual (David, Oscar e Julio Cesar), a situação é um pouco mais complicada na Espanha, em que sete de 23 jogadores estão baseados na Inglaterra.

Fonte: www.uol.com