Publicado em 15/06/2013 as 12:00am

Manifestantes fazem novo protesto no acesso ao estádio em Brasília

Manifestantes fazem novo protesto no acesso ao estádio em Brasília


Manifestantes protestam no acesso ao estádio Mané Garrincha neste sábado. O grupo se posiciona contra a realização da Copa do Mundo no país e alega que o dinheiro utilizado para a realização do Mundial poderia ser usado em educação e saúde. A reforma do estádio em Brasília consumiu cerca de R$ 1,2 bilhão dos cofres públicos.

O protesto começou de forma pacífica, com os participantes carregando cartazes. Eles foram em direção à avenida Eixo Monumental, próximo ao estádio. Quando chegaram em frente ao Mané Garrincha, foram impedidos de avançar. A polícia já havia posicionado a Tropa de Choque para fazer uma barreira.

Não há confronto neste momento, mas o clima é tenso e, pouco antes, os policiais chegaram a usar três bombas de efeito moral para dispersarem a manifestação.

"Até agora é um protesto pacífico. A ação da Polícia vai acontecer se houver ataque ao patrimônio. Ninguém foi atingido (sobre as bombas jogadas)", disse o Coronel Adilson Evangelista.

Segundo o coronel, não houve conversa com os manifestantes, pois não há uma liderança. São vários movimentos que se juntaram na frente do Estádio e querem apenas protestar.

O estádio será palco da estreia da seleção brasileira na Copa das Confederações, contra o Japão, às 16h, neste sábado. A cerimônia de abertura está marcada para as 14h30.

Na sexta-feira, um enorme tumulto ocorreu também nos arredores da arena. O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) assumiu a autoria do protesto justificando que milhares de famílias foram despejadas em Brasília, considerando que o governo federal dá prioridade apenas à realização da Copa.

Milhares de manifestantes se mobilizaram durante a semana pela internet em Brasília para protestar em frente ao estádio Mané Garrincha neste sábado, durante a abertura da Copa das Confederações com o jogo Brasil e Japão.

"Frente a todas as violações aos Direitos Humanos trazidos pela Copa do Mundo. Brasília se tornará, neste sábado, a capital da vergonha nacional", diz a convocação para o protesto na página "Copa para Quem?", que convida "a todos e todas para trazerem seu cartaz, seu apito, seu protesto para o dia da abertura desta Copa que não é do povo"

Fonte: www.uol.com