Publicado em 7/07/2013 as 12:00am

Santos vence em pleno Morumbi e afunda ainda mais São Paulo na crise

Santos vence em pleno Morumbi e afunda ainda mais São Paulo na crise


O Santos afundou ainda mais o São Paulo na crise. O time da Vila Belmiro aproveitou as falhas aéreas da equipe do Morumbi, que continuaram mesmo com a saída de Ney Franco, e deixou estádio com o placar de 2 a 0 e três pontos que afastam os santistas da zona de rebaixamento. Os gols foram de Cícero e Giva.

Os são-paulinos, por sua vez, somam a terceira derrota consecutiva, sendo dois clássicos seguidos dentro da própria casa, e ouviram gritos de olé de sua própria torcida. Mais do que isso. Os poucos torcedores que foram ao palco do jogo vaiaram a diretoria e alguns jogadores, voltaram a pedir Muricy Ramalho e chamaram o time de sem vergonha. As duas equipes ficam com oito pontos, na zona intermediária da classificação.

Isso só aumenta a pressão em cima do escolhido pela diretoria para assumir o comando da equipe. O próximo compromisso, ainda sem a certeza de ter o nome definido, está marcado para a próxima quarta-feira, novamente no Morumbi, diante do Bahia, por um jogo adiantado da 11ª rodada do Brasileirão. Já o Santos entra em campo pela Copa do Brasil, na Vila Belmiro, para iniciar a 3ª fase contra o Crac (GO).

Neste domingo, o São Paulo começou o primeiro tempo sufocando o Santos. Com domínio do meio de campo e ótimas enfiadas de Jadson, os donos da casa assustaram Aranha com uma cabeçada de Rodrigo Caio e vários lances perdidos por Luis Fabiano. Em um deles, o atacante chegou a ficar frente a frente com o goleiro santista, mas demorou para finalizar e viu o zagueiro se recuperar.

Em outra, Luis Fabiano ficou novamente à frente após cruzamento de Osvaldo, mas foi travado por baixo e deixou novamente de abrir o placar. O Santos foi responder quase aos 30 minutos, com Neilton, que fez jogada pela lateral esquerda, puxou para o meio, mas errou na hora de finalizar. Os primeiros 45 minutos terminaram com a torcida são-paulina gritar novamente o nome de Muricy Ramalho.

Na etapa final, Jadson resolveu deixar de ser garçom e tentou ele mesmo abrir o placar. O camisa 10 fez boa jogada pela entrada da área, conseguiu tirar o adversário do lance e tentou acertar o canto baixo direito de Aranha. A bola raspou a trave. A resposta de Claudinei Oliveira, treinador santista, foi tentar apostar mais uma vez nos garotos da base. E deu certo. No seu primeiro lance de jogo, o atacante recebeu cruzamento de Montillo, pela esquerda, se adiantou facilmente a Rhodolfo e cabeceou sem chances para Ceni.

Atrás no placar, Milton Cruz, outro treinador interino, tirou Paulo Henrique Ganso e Denilson e colocou Aloísio e Maicon, deixando o time no 4-3-3.  Usar a mesma tática de Ney Franco, no entanto, não deu certo dessa vez. O São Paulo não aumentou seu poder de criação e, pior, batia muita cabeça na grande área. Em um lance, dois são-paulinos tentaram ir na mesma bola, bateram cabeça e a bola sobrou com Aranha.

Em um lance isolado, Aloísio, de mão, desviou e quase empatou. Para a sorte do juiz, que não viu a irregularidade, Aranha fez a defesa. Logo em seguida, o Santos enterrou as chances de reação do São Paulo. Cícero aproveitou cruzamento de Emerson e garantiu a vitória por 2 a 0 no Morumbi.

Fonte: www.uol.com