Publicado em 27/09/2013 as 12:00am

Jogadores consultam clubes sobre participação no Bom Senso FC

Jogadores consultam clubes sobre participação no Bom Senso FC


Em alguns clubes, os atletas consultaram dirigentes antes de aderir ao movimento pela mudança no calendário do futebol brasileiro, o Bom Senso FC. Embora sem apoio explícito, a maioria dos cartolas de clubes tem entendido ser legítima a manifestação deles. Há casos de clubes em que não houve conversa dos jogadores com as diretorias.

Os jogadores, obviamente, não têm nenhuma obrigação de comunicar sua participação em movimentos sociais. Não há impedimento contratual.

Ainda assim, pelo menos no São Paulo e no Grêmio, os atletas foram conversar com os cartolas sobre a participação no Bom Senso FC. Em ambos os casos, dirigentes lhes deram apoio no tema. No Cruzeiro, os dirigentes não foram consultados, mas não viram problemas no manifesto. Atlético-MG e Atlético-PR já se mostraram simpáticos ao grupo.

No São Paulo, o goleiro Rogerio Ceni, que chegou a dar palestra a outros atletas sobre o tema, foi procurar o gerente de futebol, Gustavo de Oliveira, para explicar o movimento dos jogadores. Filho de Sócrates, fundador da democracia corintiana, o dirigente apoiou sua atitude. A diretoria do São Paulo já se mostrou favorável a mudanças no calendário.

No Grêmio, o capitão do time Barco foi pedir autorização para entrar no movimento para o diretor de futebol, Rui Costa. “Todos que estão participando consultaram o time”, explicou o cartola.

No Cruzeiro, não houve conversa com os dirigentes do clube. “Não podemos interferir em uma decisão individual por isso não houve pedidos”, contou o gerente cruzeirense Valdir Barbosa.

Fonte: www.uol.com