Publicado em 11/10/2013 as 12:00am

Scolari abandona diplomacia e critica organizadores de tour asiático

Scolari abandona diplomacia e critica organizadores de tour asiático


Se anteriormente tinha sido diplomático ao comentar as escolhas de adversários e locais dos amistoso da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari aproveitou sua entrevista coletiva nesta sexta-feira para criticar os organizadores das apresentações no Brasil pela escolha da Ásia como destino das partidas de outubro, incluindo a deste sábado, às 8h (de Brasília), contra a Coreia do Sul.

Embora os direitos dos amistosos do Brasil pertençam à empresa saudita ISE, a logística das partidas fica a cargo da inglesa Pitch Internacional. Felipão não mencionou o nome de nenhuma das duas empresas, mas na saída da entrevista coletiva um dos representantes da Pitch procurou jornalistas brasileiros para saber detalhes sobre as declarações do treinador.

Scolari concentrou sua insatisfação nos critérios logísticos e em nenhum momento reclamou dos adversários – tanto que ele mencionou especificamente o fato de a Coreia do Sul ter se classificado para as oito últimas Copas do Mundo. O objeto específico da ira de Felipão foi o deslocamento da seleção para um região do mundo cujo fuso-horário é complicado mesmo para os jogadores baseados na Europa.

"Teremos algum prejuízo nessa viagem pela dificuldade que vamos ter para manter o mesmo posicionamento da Copa da Confederações. Se observar o treino de ontem (quinta-feira), tínhamos jogadores ainda com tempo descoordenado. A bola picava e eles não sabiam o tempo de bola. É isso que agente tem falado para a empresa que detém os jogos, que pense um pouco mais na parte técnica. Sabemos que é importante para todo mundo, que há valores, mas essa viagem longa fez com mudássemos nossa rotina, nossa forma de jogar. Estamos concedendo uma vantagem aos nossos adversários'', afirmou Felipão.

Tanto na chegada a Seul, segunda-feira, quanto em conversas informais com os jornalistas, o treinador tinha reclamado da viagem à Ásia – a seleção faz ainda um amistoso contra Zâmbia, em Pequim, na terça-feira. 

Felipão agora se preocupa com os efeitos do fuso-horário na viagem de volta para os jogadores e teme que os clubes tenham pressa em reintegrar os atletas cedidos.

"A gente tem falado a eles (jogadores) que depois do jogo se cuidem para chegar nas melhores condições possíveis de na volta, para que os clubes não tenham prejuízos. A gente gostaria de ter jogado na Europa, que estaria a seis, sete horas do Brasil. Temos um cuidado muito grande com eles aqui, damos as melhores condições possíveis", finalizou Scolari.

Fonte: www.uol.com