Publicado em 6/11/2013 as 12:00am

Djoko mantém Federer freguês mas vê topo do ranking quase perdido

Djoko mantém Federer freguês mas vê topo do ranking quase perdido


A partida entre Novak Djokovic e Roger Federer na noite da última terça, pelas Finais da ATP, obviamente terá impacto pelo quinto mais importante título da temporada. Mas no que diz respeito ao posto de número 1 do mundo, Djoko já parece destinado a fechar o ano como vice: apesar da vitória sobre o suíço, ele poderá ver Rafael Nadal sacramentar seu lugar no topo ainda nesta quarta-feira, já que o espanhol precisa de apenas mais uma vitória na 02 arena para ''fechar a matemática".

Apesar de Nadal enfrentar, por volta de 12h (de Brasília), o suíço Stanislas Wawrinka, uma das surpresas da temporada, poucos duvidam de que o espanhol vá deixar de vencer uma de suas duas partidas restantes na fase de grupos. Especialmente depois dele atropelar o também espanhol David Ferrer na terça-feira, vingando-se da derrota para o compatriota nas semifinais do Masters 1000 de Paris, na semana passada.

O fato de Nadal ter perdido apenas seis dos 78 jogos que disputou também sugere que dificilmente ele sairá de Londres sem o topo ranking sacramentado.

Djokovic precisava bancar um Hércules de raquete de qualquer maneira. Como defende os pontos do título conquistado em Londres no ano passado, ele precisaria ser campeão novamente na 02 Arena e ainda levar a Copa Davis com a Sérvia para ter chances, mas ainda assim contando que Nadal perca todos os jogos nas Finais.

O sérvio ao menos pode tentar aguar a sangria do espanhol em Londres: enquanto Nole tem dois títulos do torneio de gala de encerramento da temporada, Nadal ainda não conta com este troféu em sua estante – o vice para Federer em 2010 foi o mais perto que chegou.

A má notícia para o sérvio é que Nadal esta semana não deu cambalhotas de alegria ao comentar o ''roubo'' do topo do ranking. "Já terminei as temporadas de 2008 e 2010 como número 1, então a grande alegria para mim este ano é minha recuperação. Ganhar em Londres seria algo especial, adoro a atmosfera deste torneio", disse Nadal no início da semana, embora ele também tenha defendido um rodízio no tipo de quadra usada para o torneio de final de ano.

Outro problema para Djokovic é que Nadal tem levado a melhor nos confrontos diretos: em 38 partidas, o espanhol venceu 22, incluindo três de cinco na temporada de 2013, apesar de a mais recente, a final do Torneio de Pequim, ter resultado em triunfo de Djoko.

Fonte: www.uol.com