Publicado em 14/11/2013 as 12:00am

Arena de handebol da Rio-2016 vai virar 4 escolas após Olimpíada

Arena de handebol da Rio-2016 vai virar 4 escolas após Olimpíada


A Prefeitura do Rio de Janeiro lançou nesta quinta-feira a licitação para a construção da arena de handebol dos Jogos Olímpicos de 2016. O espaço será erguido com estruturas provisórias que, depois da Olimpíada, serão usadas na construção de quatro escolas municipais. A montagem da arena e, depois, das escolas deve custar  R$ 178 milhões.

Esta é a primeira vez que o conceito de "arquitetura nômade" é aplicado em obras para uma edição dos Jogos Olímpicos, segundo a EOM (Empresa Olímpica Municipal), órgão que coordena as obras municipais para a Rio-2016. A EOM argumenta que o arena desmontável reduz custos de manutenção com equipamentos esportivos. Já a construção das escolas amplia o legado olímpico.

Essa escolas devem atender 2 mil alunos, 500 cada uma. Uma delas ficará na área do Parque Olímpico; outra, em um terreno na Avenida Salvador Allende; e a terceira, perto do Parque Carioca, onde será realocada parte dos moradores da removidos Vila Autódromo. Já a quarta escola será montada em um terreno em São Cristóvão, na zona norte.

A obra da arena de handebol é uma responsabilidade da EOM. Quem pagará por ela, contudo, é o governo federal.

O espaço terá capacidade para 12 mil pessoas. Receberá as competições de handebol dos Jogos Olímpicos e de golbol dos Jogos Paralímpicos. As obras começarão no primeiro semestre de 2014 e devem terminar no segundo semestre de 2015.

No dossiê de candidatura do Rio à sede da Olimpíada de 2016, foi informado que a arena de handebol seria um equipamento permanente. O custo estimado do espaço era de R$ 160 milhões (valor já atualizado de 2009 a 2013 pelo INCC-DI).

Fonte: www.uol.com