Publicado em 15/11/2013 as 12:00am

Djokovic vence primeiro "freguês", e Sérvia faz 1 a 0

Djokovic vence primeiro "freguês", e Sérvia faz 1 a 0 na decisão da Davis

Entre todos os atributos favoráveis à Sérvia na decisão da Copa Davis, nenhum é maior do que Novak Djokovic. Número 2 do ranking mundial, o tenista chegou à disputa do título com uma invencibilidade de 22 partidas e um histórico amplamente favorável contra os dois representantes da República Tcheca na chave de simples. Nesta sexta-feira, ele confirmou a expectativa, atropelou o primeiro "freguês" e bateu Radek Stepanek por 3 sets a 0 (parciais de 7-5, 6-1 e 6-4).

O confronto desta sexta-feira foi o décimo de Djokovic com Stepanek. O sérvio agora soma nove vitórias e apenas um revés no duelo direto. 

Jogando em Belgrado (Sérvia), na quadra que escolheu e nas condições que escolheu (quadra dura e arena coberta), Djokovic confirmou o favoritismo. Com isso, a Sérvia abriu 1 a 0 na decisão da Davis, que é disputada em melhor de cinco duelos.

O segundo jogo da decisão da Copa Davis será ainda nesta sexta-feira. Dusan Lajovic, que tem 23 anos e foi convocado para substituir o lesionado Janko Tipsarevic, vai enfrentar Tomas Berdych, número 1 da República Tcheca.

Contra Berdych, o histórico de Djokovic também é muito positivo. O sérvio tem 14 vitórias em 16 embates.

Nesta sexta-feira, Djokovic e Stepanek até chegaram a ensaiar um jogo que contrariasse o favoritismo do sérvio. Os dois fizeram um duelo parelho nos quatro primeiros games, com alto índice de aproveitamento quando tiveram o primeiro serviço nas mãos.

Na parte final do primeiro set, porém, Stepanek deixou de trabalhar tanto com o primeiro serviço. O tcheco fechou a parcial com 59% de aproveitamento do saque – Djokovic teve 85%.

Jogando contra um saque mais colocado, o sérvio conseguiu aproveitar e obteve uma quebra. Stepanek chegou a reagir e diminuiu a desvantagem para 5 a 4, mas Djokovic voltou ganhar um game no serviço rival e fechou o set com uma vitória por 7 a 5.

Um dos principais diferenciais entre os dois tenistas no primeiro set foi o número de erros. Stepanek registrou 16 falhas forçadas e 11 não forçadas, e Djokovic marcou 14 e oito nos mesmos quesitos.

A diferença de consistência também foi uma marca no segundo set. No terceiro game, por exemplo, Djokovic jogou sob pressão e conseguiu evitar que Stepanek quebrasse o serviço.

No game seguinte, Djokovic aproveitou logo a primeira chance e quebrou o saque de Stepanek. A partir daí, o sérvio "sobrou" na parcial. Com um jogo de fundo muito mais eficiente, o número 2 do mundo conseguiu uma tranquila vitória por 6 a 1.

Stepanek ainda tentou uma reação no set seguinte, ganhou mais pontos quando teve o segundo serviço e conduziu a parcial de forma equilibrada até o empate por 4 a 4. No game seguinte, Djokovic começou perdendo, mas quebrou o serviço do rival e se colocou em condição de selar o triunfo.

Fonte: www.uol.com