Publicado em 3/03/2014 as 12:00am

Guga leva esposa para Sapucaí e sonha virar samba-enredo

Guga leva esposa para Sapucaí e sonha virar samba-enredo como Zico

Ídolo do tênis brasileiro, Gustavo Kuerten também é fã de carnaval. Neste domingo, o maior tenista da história do Brasil esteve na Marques de Sapucaí para curtir o primeiro dia de desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro ao lado da esposa, a fonoaudióloga Mariana Soncini. E mostrou-se animado com a homenagem que será feita a dois dos grandes nomes do esporte brasileiro durante o carnaval carioca. Na Imperatriz Leopoldinense, Zico será o tema do samba-enredo. Enquanto na Unidos da Tijuca, o desfile vai trazer parte da história de Ayrton Senna. Acompanhando tudo de perto, Guga não deixa de sonhar. E espera, um dia, ter sua trajetória também lembrada.

- O carnaval é o maior espetáculo da Terra. É quando a cultura de um povo é materializada. É muito importante lembrar dos grandes nomes do esporte brasileiro. Fico muito feliz e sonho, quem sabe, um dia, ter minha história como enredo. Imagina? Seria a realização de um sonho. Estou torcendo pelos esportistas este ano. Estarei novamente aqui (na segunda) e quero assistir às escolas sobre o Zico e o Ayrton Senna - frisou Guga.

Guga também falou sobre tênis. Parado com vários pedidos de fotos, ele lembrou que durante o Rio Open bateu uma forte saudade das quadras. O tricampeão de Roland Garros parou de jogar em junho de 2008 após não suportar mais as dores no quadris. Guga, hoje com 37 anos, garante que a história seguirá assim nos próximos anos.

- Sempre que me envolvo nesse mundo do tênis me bate uma saudade. Mas é também porque sou jovem, deixei o tênis muito cedo, por causa das lesões. Assim, sempre que estou perto, me dá vontade de participar, de jogar. E acredito que será assim pelos próximos cinco anos (risos). Depois disso, tenho certeza de que não sentirei isso mais - brincou o ídolo.

Neste mês, Guga foi homenageado durante o Rio Open, torneio vencido pelo espanhol Rafael Nadal. Foi, aliás, do número 1 do mundo que o ex-tenista recebeu uma placa comemorativa. O catarinense classificou como inesquecível a lembrança e elogiou a organização da competição, esperando que tenha aberto portas para novas disputas do mesmo nível no Brasil. 

- Foi muito especial ter recebido a homenagem. Ainda mais em casa, para mim que fui um atleta que fiz minha carreira fora do Brasil. Tem um sabor especial. O padrão do torneio foi excelente. Espero que se façam outros por aqui.

Fonte: (g1)