Publicado em 27/06/2014 as 12:00am

Fifa muda decisão e retira suspensão a Franz Beckenbauer

A MHM, empresa de gestão responsável por cuidar dos assuntos de Franz Beckenbauer, disse que o alemão não está mais suspenso pela Fifa. Segundo comunicado do grupo, a entidade teria voltado atrás e retirado a proibição de 90 dias imposta a ele no início d

A MHM, empresa de gestão responsável por cuidar dos assuntos de Franz Beckenbauer, disse que o alemão não está mais suspenso pela Fifa. Segundo comunicado do grupo, a entidade teria voltado atrás e retirado a proibição de 90 dias imposta a ele no início de junho. Entretanto, ainda não houve confirmação da própria Fifa.

A entidade havia suspendido o ex-jogador de qualquer atividade relacionada ao futebol por ele não ter colaborado com a investigação do Comitê de Ética da entidade em torno da suposta corrupção na escolha do Qatar para a Copa-2022. Ele era dirigente do Comitê Executivo da federação quando foi feita a eleição e, por isso, era uma das testemunhas-chave na apuração.

O próprio Beckenbauer já havia se comprometido a responder até hoje (27 de junho) às perguntas do investigador que apura as suspeitas de corrupção sobre a escolha das sedes das próximas duas Copas.

O Qatar é alvo de investigação após denúncias da imprensa inglesa de que membros do Comitê Executivo da Fifa teriam recebido propina para votar na candidatura do país para 2022. De acordo com as denúncias, o representante qatari na Fifa, Mohammed Bin Hamman, teria pago cerca de 5 milhões de dólares a dirigentes da África, Ásia e Oceania em troca de votos.

Quando anunciou a punição, a Fifa informou que ele estaria "provisoriamente banido de tomar parte em qualquer atividade do futebol, em qualquer nível, por 90 dias". A punição foi baseada no artigo 83 do código de ética da entidade. A investigação tentou falar pessoalmente e por escrito com o ex-jogador, mas não obteve resposta. "A aparente quebra (do código de ética da Fifa) por Beckenbauer é relacionada a sua falta de cooperação com a investigação do Comitê de Ética apesar dos repetidos pedidos de ajuda, incluindo pedidos para que ele providenciasse informações durante entrevista pessoal ou por meio de resposta a questões escritas tanto em inglês quanto em alemão".

Fonte: www.uol.com.br