Publicado em 8/07/2014 as 12:00am

O Massacre do Mineirão

Deu até dó. Após a goleada da Alemanha, por 7 a 1, sobre o Brasil, os vencedores elogiaram a seleção brasileira, mas se disseram com pena.

 Deu até dó. Após a goleada da Alemanha, por 7 a 1, sobre o Brasil, os vencedores elogiaram a seleção brasileira, mas se disseram com pena.

"Eu acho que sinto pena. Obviamente, é diferente [vencer dessa forma]. Eles têm grandes jogadores", disse Tony Kroos, em entrevista coletiva.

O volante Schweinsteiger também mostrou empatia com os colegas brasileiros: "Fico um pouco triste em relação ao que aconteceu com o Brasil. É um bom time, fizeram bom trabalho. Fico triste por Neymar e Thiago Silva que não puderam jogar contra nós, mas creio que pela Copa foi bom chegarmos a 7 a 1", disse.

O atacante Thomas Müller, que fez o primeiro gol do massacre, também se disse sentido pelos brasileiros. "Os jogadores do Brasil são superjogadores, com qualidade. Não mereciam isso. Com todo o estádio e torcida, perder de 7 a 1... isso dói no nosso coração. Meus amigos do Bayern não mereciam, mas o futebol é assim."

O técnico Joachim Löw tentou imaginar o que estaria passando pela cabeça de Luiz Felipe Scolari e comparou a derrota brasileira em casa com o que a Alemanha sofreu em 2006, quando também foi eliminada nas semifinais sendo anfitriã.

"Também ficamos chocados, passamos a mesma coisa em 2006", afirmou Löw à televisão alemã. "Eles ficaram chocados, não esperavam ficar em desvantagem. E a partir daí foi uma partida fácil para nós". O treinador disse achar que a enorme pressão sobre o time da casa pode ter se tornado um fardo.

"Tínhamos grandes esperanças em 2006 também, você sente a pressão que os anfitriões têm em uma partida como esta", declarou o treinador. "Todas as 200 milhões de pessoas aqui querem que eles cheguem à final. Isso pode deixar os jogadores travados. Lamento por ele [Felipão]. Acho que sei como ele se sente".

Logo depois do apito final, os alemães, que haviam jogado sério a partida inteira, tentaram consolar os adversários, em uma bela demonstração de fair play. Em entrevista coletiva depois do jogo, o zagueiro Dante, que atua no Bayern de Munique com muitos dos rivais, não pareceu ter recebido muito bem o carinho.

"Eles quiseram me consolar ali, mas não era o momento. Depois vamos conversar melhor", afirmou o zagueiro que substituiu o capitão Thiago Silva.

"Perdidos, nervosos"

Kroos, autor de dois dos gols alemães, classificou a partida como "um jogo impressionante". "Desde os primeiros minutos, vimos que algo seria possível. Eles estavam perdidos, não tinham ações claras. Não acreditávamos no que estava acontecendo".  O meia-atacante foi o escolhido melhor jogador em campo pela Fifa.

O treinador Löw confirmou o diagnóstico de nervosismo dos brasileiros. "Depois do 2 a 0 eles ficaram nervosos. Jogavam as bolas para a nossa área", afirmou.

A Alemanha enfrentará na final o vencedor de Argentina e Holanda, que jogam nesta quarta-feira, em São Paulo.


Fonte: Do UOL, em São Paulo