Publicado em 21/07/2014 as 12:00am

Perplexo, Lino não entende volta de Dunga à Seleção

Comentarista revela surpresa pelo retorno do treinador da Copa de 2010, e Rizek diz: "CBF passa recado que trabalho não deveria ter sido interrompido"

Após a saída de Luiz Felipe Scolari do comando da seleção brasileira, com o fim da Copa do Mundo de 2014, muitos treinadores foram ventilados e discutidos para assumir o Brasil. Em nenhuma lista, no entanto, havia a opção por Dunga. Apesar de não sido anunciado oficialmente (CBF marcou uma entrevista coletiva na próxima terça-feira), o técnico brasileiro na África do Sul já é dado como certo. Para o comentarista Carlos Eduardo Lino, o retorno de Dunga é um "passo atrás" e, por isso, tenha ficado "surpreso e quase perplexo" com a escolha da CBF (assista ao vídeo).

- Evidente que a gente está preparado para analisar o trabalho do Dunga com virtudes e defeitos, que naturalmente ele vai ter. Mas nenhum de nós deve deixar de refletir sobre o passo atrás que está sendo dado. Sobre a CBF tentar recuperar um trabalho que parecia ter se encerrado, com contabilidade feita, erros e acertos respeitados, mas principalmente, uma página que parecia ter sido superada no futebol brasileiro. A partir de que ponto ela vai ser retomada, a partir de que momento ela começa essa história, se é um recomeço ou um começo de uma nova história, se é um novo Dunga ou não, é o que a gente vai começar a desvendar a partir de agora. Eu confesso que fiquei surpreso e quase perplexo. Não esperava por isso - comentou Lino.

Na bancada do "Troca de Passes" deste domingo, o jornalista André Rizek também não entendeu o retorno do treinador, já que acreditava que Tite seria o nome da vez.

- Essa CBF passa um recado que o trabalho do Dunga não deveria ter sido interrompido em 2010. Só que o trabalho do Dunga, como treinador, seguiu depois de 2010, no Internacional, sendo campeão gaúcho e indo muito mal no Campeonato Brasileiro. E seguiu sem o Jorginho, que era uma parceria fundamental na seleção brasileira. Jorginho também seguiu a vida dele como técnico. Pelo que a gente sabe e pelo que a gente lê, o Jorginho não retorna com o Dunga agora. Então, é um recomeço de algo que foi parado e que se perdeu. O Dunga vai ter que formar um outro time. Acho que o Tite tinha um currículo que apontava para ser a vez dele, mas é difícil entender com certa lógica as últimas escolhas da CBF - disse Rizek.

Fonte: Sportv.globo.com