Publicado em 3/11/2014 as 12:00am

Ex-jogador Palinha participa do "Craques da Bola"

Considerado um craque na década de 90, o jogador Palinha esteve no programa Craques da Bola, onde falou de sua história e projetos que está desenvolvendo.

Considerado um craque na década de 90, o jogador Palinha esteve no programa Craques da Bola, onde falou de sua história e projetos que está desenvolvendo. O programa foi ao ar na quinta-feira, dia 30 de outubro e os apresentadores Ader Carreiro Roberto Mazzinghy conduziram a entrevista.

O programa “Craques da Bola” caminha para o seu quarto aniversário e está entre os melhores programas esportivos de língua portuguesa, em Massachusetts.

Durante o programa, as linhas telefônicas foram abertas para que os ouvintes do programa pudessem participar e conversar com o craque. “Foi muito emocionante tanto do lado dos ouvintes quanto dos apresentadores”, disse Mazzinghy.

Depois da entrevista, Palinha se tornou membro do programa “Craques da Bola”. Ele integrou o grupo de radialistas e todos os dias vai comentar o esporte brasileiro e mundial.

O programa “Craques da Bola” vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 7:00 p.m. às 8 p.m, através da emissora de rádio AM1360 e pela rádio BTTV (www.radiobttv.com).

Para mais informações ou anunciar no programa, ligue para (857) 247-0980 e fale com Roberto.

O CRAQUE

Os primeiros passos de Palhinha no futebol foram em um time amador de Belo Horizonte, o Venda Nova, aos dez anos. Dois anos depois, foi para o Santa Teresa, onde ficou até os dezoito anos, quando foi para o . Foi defendendo o América que ele venceu o Troféu Guará, dado pela imprensa mineira aos destaques do futebol local, em 1986, 1987, 1988 e 1990. No início de 1992, foi emprestado até o fim de julho ao São Paulo, com o valor do passe fixado em quatrocentos mil dólares. Em maio, quando já estava se destacando como artilheiro da Libertadores, reivindicou a contratação em definitivo. “A condição de emprestado deixa sempre na gente certa incerteza profissional”, disse. “Além disso, acho que o preço está dentro do mercado, de ocasião.”

Palhinha foi bicampeão da Libertadores, em 1992 e 1993, e da Copa Intercontinental, no Japão, nos mesmos anos. Conquistou ainda o Paulistão de 1992, o bicampeonato da Recopa Sul-Americana, em 1993 e 1994, e a Supercopa da Libertadores, em 1993. Na partida de ida das semifinais da Libertadores de 1992, quando marcou seu sétimo gol no torneio (que lhe valeria a artilharia), teve seu nome cantado pela torcida são-paulina. Também marcou o primeiro gol tricolor na decisão do Mundial de 1993, contra o Milan.

Negociado com o Cruzeiro, venceu novamente a Taça Libertadores da América em 1997.

Depois transferiu-se para o Maiorca da Espanha em 1997, jogou pelo Flamengo em 1998 e pelo Grêmio em 1999, quando se sagrou campeão gaúcho.

Retornou ao América MG onde sagrou-se campeão da Copa Sul Minas em 2000. Palhinha figura como o sétimo maior artilheiro do América Mineiro.

Depois, passou sucessivamente pelo Sporting Cristal, do Peru, em 2000, Gama, em 2001, Alianza Lima, em 2001 (onde se sagrando campeão peruano), Marília, entre 2001 e 2002, América Mineiro, em 2002, Khaimah Sports (Emirados Árabes Unidos), em 2003, Uberaba, em 2003, Bandeirante de Birigui, em 2004, Ipatinga, em 2004, Chapecoense, em 2005, Farroupilha, em 2005, e Guarulhos, em 2006, seu último clube como jogador.

Fonte: Da Redação