Publicado em 6/08/2015 as 12:00am

Jogador réune GPS, idolatria e status de celebridade

Aos 31 anos, Guerrero sempre foi elogiado pela postura profissional e encantou os funcionários do clube nos primeiros 30 dias

Paolo Guerrero completa nesta quinta-feira (6) um mês de Flamengo. O peruano conquistou o respeito dos torcedores e virou ídolo em pouco tempo. No Rio de Janeiro, o camisa 9 rubro-negro mantém o estilo reservado e tenta minimizar as consequências da vida de celebridade.

Aos 31 anos, Guerrero sempre foi elogiado pela postura profissional e encantou os funcionários do clube nos primeiros 30 dias. O atacante se dedica aos treinos e conversa com companheiros e dirigentes para se adaptar as particularidades do Flamengo.

O peruano entrou em campo cinco vezes com a camisa rubro-negra. Ele marcou três gols, deu duas belas assistências e recebeu dois cartões amarelos. O funk "Acabou o caô" virou hit e passou a embalar os jogos. O Flamengo mudou com Guerrero e ganhou astral diferente para a sequência da temporada.

Mas o sucesso profissional também tem impacto na vida pessoal. Paolo sempre conviveu com o assédio dos fãs, mas a mudança para o Rio de Janeiro e o relacionamento com a modelo Alondra García Miró apresentaram novos adversários: os paparazzi.

Guerrero é reservado e aproveita as folgas ao lado da companheira de forma tranquila. Andar de bicicleta na orla da Praia da Barra da Tijuca é um dos programas prediletos. No entanto, o plantão frequente de fotógrafos em busca de cliques do casal tornou-se comum na Cidade Maravilhosa.

Paolo Guerrero e Alondra García já foram fotografados em restaurantes, shoppings, praias e até em uma joalheria. Virar ídolo relâmpago do Flamengo cobra o seu preço. O peruano não esperava isso, mas tenta se adaptar para que nada atrapalhe o desempenho com a camisa 9.

GPS é fiel escudeiro

Como sai pouco de casa, Guerrero recorre ao GPS sempre quando precisa ir até lugares desconhecidos. É raro acontecer, mas o fato é que o aparelho não sai do carro para evitar qualquer contratempo.

O único trajeto no qual o GPS não se faz necessário é de casa até o CT Ninho do Urubu, em Vargem Grande. Paolo Guerrero já decorou o caminho e tenta agora desvendar os atalhos para garantir cada vez mais o lugar no coração dos flamenguistas.

Fonte: uol.com.br