Publicado em 19/07/2016 as 2:00pm

Presidente da França terá esquema de segurança mais rigoroso da Rio-2016

O francês é visto hoje como principal alvo em potencial de eventuais investidas terroristas no Brasil

Com o atentado terrorista que matou dezenas de pessoas na semana passada em Nice, o governo interino de Michel Temer prepara o esquema de segurança mais rigoroso possível para a vinda do presidente da França, François Hollande, à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos.

O francês é visto hoje como principal alvo em potencial de eventuais investidas terroristas no Brasil. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não estará no evento.

Entre as autoridades estrangeiras que confirmaram presença, Hollande é o único que contará com grau cinco de proteção da Polícia Federal, o maior na escala de atenção.

No radar de alto risco, estão ainda representantes dos Estados Unidos e Israel, que permanecerão acompanhados de forte aparato de escolta.

Delegado da Polícia Federal que comanda a Secretaria de Grandes Eventos, Andrei Passos Rodrigues adianta que o esquema adotado para a proteção de autoridades respeitará todos os protocolos internacionais.

"Os chefes de Estado serão acompanhados 24 horas, faremos varreduras prévias nos lugares em que eles forem e todos os trajetos que percorrerem serão monitorados por câmeras", exemplificou o delegado.

Como precaução, o governo brasileiro pretende criar restrições para o deslocamento de veículos de carga no Rio de Janeiro. A ideia é fixar áreas de exclusão em estradas ou avenidas de acesso a arenas esportivas ou locais de concentração de atletas e torcedores.

No ataque em Nice, o tunisino Mohamed Lahouaiej Bouhlel lançou seu caminhão contra uma multidão reunida para a comemoração do feriado de 14 de julho.

A restrição no deslocamento também será adotada no parque olímpico para veículos de médio e pequeno portes. Só poderão achegar às proximidades de locais de competição carros de segurança ou credenciados previamente pelos organizadores do evento internacional.

CÂMERAS

Até o final do mês, o governo interino pretende ainda instalar cerca de duas mil novas câmeras no Rio de Janeiro. Ao todo, somando as controladas atualmente pelos governos estadual e municipal, serão em torno de seis mil dispositivos de segurança.

A FAB (Força Aérea Brasileira) também adotará tática semelhante e vai manter câmeras nas bases aéreas por onde passarão chefes de Estado. O objetivo é monitorar cada passo das autoridades internacionais enquanto estiverem nos locais.

O governo também pediu às forças de segurança que façam um controle maior em regiões conflagradas da cidade. O receio é que turistas e atletas frequentem áreas onde possam ser vítimas de violência, como roubo e sequestro.

Na segunda-feira (18), o presidente interino pediu ao ministro Alexandre de Moraes (Justiça) que inicie agenda de viagens nesta terça-feira (19) a todas as cidades que irão sediar competições olímpicas.

O objetivo é que a equipe do ministro faça vistorias às arenas esportivas e acalme a população sobre riscos de ataques terroristas durante o evento mundial.

Com o mesmo objetivo, o peemedebista gravou vídeo que será enviado às embaixadas brasileiras, com legendas em inglês e espanhol, em que qual ressalta que a segurança no Rio de Janeiro foi reforçada "muitíssimo" e que as pessoas podem viajar com tranquilidade ao Brasil. Com informações da Folhapress.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br

Top News