Publicado em 1/12/2016 as 4:00am

Sobreviventes da queda de avião se recuperam em hospitais de Medellín

Três unidades de saúde receberam as seis vítimas. Estado de saúde do goleiro Jackson Follmann ainda é crítico.

O estado geral de saúde dos seis sobreviventes teve uma melhora nesta quarta-feira (30).

Assim como no dia do acidente, a chuva bateu forte na tarde desta quarta na região próxima a Medellín onde ficam os três hospitais que atendem os seis sobreviventes. Hospital moderno, de arquitetura que impressiona, o San Vicente de Paula fica pertinho do aeroporto, mas é o mais distante do local da queda do avião. Por isso, na unidade está apenas um dos sobreviventes, o goleiro reserva Jackson Follmann, de 24 anos.

Ao ser encontrado pelos socorristas, ele foi levado direto para o hospital San Vicente que é o que tem mais recursos. O diretor médico, Ferney Rodriguez, não doura a pílula. Conta que Jackson chegou tão mal e tinha perdido tanto sangue que, para salvá-lo, foi necessário amputar a perna direita dele abaixo do joelho.

O médico disse também que a situação do goleiro é crítica e, nesses casos, superar as primeiras 48 horas pode dar uma ideia mais clara dos problemas. Mas foi otimista, disse que coração, pulmões e a parte neurológica estão bem. 

A clínica Somer recebeu três sobreviventes. O lateral Alan Ruschel primeiro foi atendido no hospital San Juan de Dios, mas foi transferido para a clínica Somer porque precisava fazer uma delicada operação na coluna vertebral.

A diretora médica, Ana Maria Martinez, disse que a cirurgia feita na terça (29) foi um sucesso e embora fosse cautelosa, parece que o jogador de 27 anos está melhorando bem.

Sobreviver a um acidente de avião permite que se use, justificadamente, a palavra milagre. Mas não é só isso. Dois eram tripulantes da companhia. Ximena Suárez e Erwin Tumiri se feriram bem menos gravemente, porque souberam usar, dentro do possível, técnicas que o ajudaram a se proteger melhor.

A aeromoça Ximena Suárez tem 28 anos e é mãe de dois filhos. Foi a segunda pessoa resgatada viva. Ela está estável e consciente e só tem machucados em uma perna.

Erwin Tumiri, 25 anos, disse aos jornais colombianos como se salvou no momento do impacto com o solo. Ele explicou que seguiu os protocolos de segurança, colocou uma mala entre as pernas e ficou na posição fetal, o que é recomendado em acidentes. Turimi está estável e consciente, com apenas algumas lesões que não comprometem a sua vida.

No hospital San Juan de Dios estão os dois últimos brasileiros. As últimas informações também foram positivas.

Zampier Hélio Neto, o zagueiro Neto, de 31 anos, passou por uma cirurgia no peito.  Tinha uma ferida no couro cabeludo e uma pequena fratura no crânio, um inchaço na contusão cerebral.

O jornalista Rafael Henzel, de 43 anos, passou por uma cirurgia no peito e está sedado para evitar complicações.

De certa forma, todos melhoraram nesta quarta-feira. A cada hora que passa aumenta a esperança de que esses seis sobreviventes aos pouquinhos possam causar menos preocupações.

Fonte: http://g1.globo.com/