Publicado em 4/09/2017 as 12:00pm

Sotaque alagoano no judô americano

Gabriel Mendes se destaca em competições nos Estados Unidos e chama atenção para o projeto Tóquio 2020.

Sotaque alagoano no judô americano Gabriel Mendes exibe as medalhas conquistadas em vários torneios nos últimos meses nos Estados Unidos.

O sonho Tóquio 2020 não está tão distante. Dono de uma carreira cheia de vitórias e medalhas, o judoca alagoano Gabriel Mendes treina forte para conquistar esse sonho. Mas ele está longe. Está aprimorando seus conhecimentos nos Estados Unidos, onde se destaca pela habilidade, força e talento nas competições de judô.

Gabriel foi convocado pela Confederação Americana de Judô para participar dos treinamentos com a seleção olímpica do país, na cidade de Colorado Springs, estado do Colorado. Esta foi uma preparação dos judocas para a disputa dos Campeonato Mundiais e dos Jogos Olímpicos. A confederação selecionou os melhores judocas em atividade dos Estados Unidos, visando a intensificação dos treinamentos de seus representantes, e o Gabriel foi o ‘intruso’.

Pelas redes sociais, a Tribuna Independente conversou com o atleta, que está muito feliz em solo americano e buscando afirmação no esporte. “O nível de competições e treinamentos é muito bom. Tenho me dedicado ao máximo para chegar no meu sonho que é disputar uma olimpíada”.

Gabriel Mendes ganhou a atenção dos norte-americanos após uma sequência de títulos e medalhas de ouro nas competições do país. Só no mês de julho ele foi primeiro lugar no Campeonato Americano de Judô; nos Jogos Abertos do estado da Califórnia e também ouro no US Open de Judô. Esta última inclusive, em Miami, com um nível elevado e internacional.

“O aberto dos Estados Unidos é procurado por todos os países do mundo, pois projeta mundialmente os judocas que subirem ao pódio. Tive a alegria de conquistar a tão sonhada medalha de ouro. Lutei na categoria meio-médio (+73kg até 81kg), no entanto, pesando apenas 77,6kg. Fiz cinco lutas e ganhei quatro delas pela maneira mais rápida, o Ippon e a outra luta com dois wazaris (pontuação média)”, explicou.

Do Brasil, os pais, familiares e amigos se enchem de orgulho e sempre estão enviado vibrações positivas. “Esses dias eu escrevi no Facebook: Poxa Gabriel Que orgulho temos de você. Uma competição muito forte que contou com quatro brasileiros de renome e respeito, que foram disputar o título máximo. Foram cinco lutas muito difíceis, com quatro ippons até o título de campeão. É uma alegria imensa”, revelou o pai do judoca, Paulo Mendes.

A Tribuna Independente já acompanha a carreira de Gabriel desde o início, quando ele ganhava os primeiros campeonatos alagoanos. Depois vieram os regionais, brasileiro, sul-americano e mundial. Sempre com participações de brilho.

Em 2015 uma para inesperada na carreira. O atleta recebeu um diagnóstico, após exames de ressonância magnética, de uma grave lesão na coluna cervical. Com isso ficou fora de seletivas importantes. Passou seis meses sem poder competir, ficando em repouso total seguido de longo tratamento de fisioterapia. Depois disso venceu alguns torneios no Brasil e arrumou as malas para a terra do Tio San. Lá ele alimenta o sonho olímpico.

“Ficamos sempre na torcida que ele seja selecionado para competir e conquistar as seletivas pensando no novo ciclo olímpico em 2020, no Japão. A expectativa é que ele seja um atleta olímpico. Ele tem ainda eventos internacionais para mostrar suas habilidades e quem sabe essa vaga para Tóquio não venha?”, explicou Paulo. Alagoas inteira fica na torcida.

Fonte: Redação - Brazilian Times