Publicado em 23/05/2014 as 12:00am

Com exclusividade, prefeito de Somerville fala a Radio BTTV

Com exclusividade, prefeito de Somerville fala a Radio BTTV

Luciano Sodré

O programa “Papo com Mikula” teve a participação especial do prefeito de Somervile (Massachusetts). Isso aconteceu na noite desta quinta-feira (22), dia em que o Prefeito Joe Curtatone assinou uma importante Ordem Executiva em favor dos imigrantes de sua cidade.

O prefeito arrumou um horário na agenda e ligou para a emissora e conversou com ele e as apresentadoras Liliane Paiva e Carolyn Mikula.

Apesar de uma rápida apresentação, o prefeito respondeu a todas as perguntas e deixou claro quais foram os reais motivos que o levaram a assinar a ordem. “Minha maior preocupação é manter as famílias unidas e protegidas”, disse ele.

Curtatone ressaltou, ainda, que é de suma importância que a comunidade tenha um contato próximo  com os policiais, pois somente assim é que a segurança poderá ser mantida. “Não há como garantir proteção se um imigrante tem medo de chegar perto da polícia para relatar algum crime ou até mesmo conversar para saber mais sobre leis”, continuou.

Outro ponto citado pelo prefeito para justificar a decisão de assinar a Ordem, foi uma longa conversa que teve com sua mãe, uma imigrante italiana. Ela chegou aos Estados Unidos primeiro que sua família e por dois anos ficou longe de todos. “Ela me disse que nos dias de hoje não podemos permitir que isso continue acontecendo”, disse.

Em relação ao fato de que sua atitude possa influenciar outras cidades, Curtatone alegou que fará o possível e usará o seu cargo para tentar convencer outros prefeitos. “Mas temos que ter em mente que temos uma briga muito maior pela frente, pois é preciso mostrar que as questões imigratórias devem ser tratadas como humanitárias”, explicou. “É preciso que toda a sociedade se engaje nesta luta e as organizações mantenham forte os manifestos em prol dos imigrantes”, continuou.

O prefeito deixou claro a sua admiração pela comunidade imigrante, que está nos Estados Unidos para trabalhar e contribuir para o desenvolvimento deste país. “Nós temos que abraçar as pessoas que querem nos ajudar a crescer”, finalizou.

 

Fonte: (da redação)