Publicado em 24/04/2008 as 12:00am

A construção do muro ao longo das fronteiras do Sul, divide os residentes do Texas

O muro ao longo da fronteira mexicana pode parecer uma boa idéia em Washington e em outros pontos do norte da América, mas considerando os moradores, que vivem à margem do Rio Grande, muitos acham que qualquer barreira ao longo da fronteira também é um ce

O muro ao longo da fronteira mexicana pode parecer uma boa idéia em Washington e em outros pontos do norte da América, mas considerando os moradores, que vivem à margem do Rio Grande, muitos acham que qualquer barreira ao longo da fronteira também é um cerco em todo o Texas.

Pat Ahumada, residente da fronteira, conta que tinha esperança de usar o curso do Rio Grande para expandir seus negócios, um plano que segundo ele certamente irá falhar se o muro for construído, uma vez que este separaria parte da cidade do resto da vila. "É por isso que tem algums texanos furiosos com a construção do projeto que já está serpentear o seu caminho por meio do Estado", completa Ahumada

Em 2005, o Congresso autorizou o Departamento de Segurança Interna para a construção da barreira em toda a grande fronteira. O muro, de 15 a 18 metros de altura, já está de pé por milhas ao longo do oeste, mas ainda não fez o seu caminho para o leste Texas, em direção à ponta sul do estado.

As pessoas protestam ainda e resitem à intromissão do governo em suas terras.

"Fui abordada pela Border Patrol em agosto para que a minha terra seja o caminho da proposta do muro", disse Eloisa Tamez, uma professora de enfermagem na vizinha Universidade do Texas-Brownsville. "Fiquei surpreendida porque eu não tinha idéia de que eles passariam em cima do meu terreno".

Isso porque a parte que seria perdida não é apenas a sua propriedade, mas também seu quintal. Se construída, a cerca estaria separando a casa resto de suas terras, que se estende ao longo das margens do Rio Grande.

 

O Departamento de Segurança Interna queria que ela assinasse um documento que permitiria o acesso aos inspetores em sua terra por 12 meses, para melhor determinar onde a construir o muro.

"Eles disseram: Você sabe que lei foi aprovada? Será construída a barreira, e temos examinar sua terra para o seu estudo' ", disse Tamez.

Ela se recusou a assinar a renúncia, por duas vezes. O governo agora entrou com recurso para ter acesso ao local.

Tamez venceu o primeiro round, mas ela mesma disse que provavelmente não será capaz de parar a construção.
Para Tamez, "a construção deste muro é a erosão da democracia. É um golpe baixo nos direitos civis. E onde nós, na América temos estado ao longo do curso da democracia? Como podemos ir aos países e dizer: Você não é uma democracia, temos que ajudá-lo. Derrube os muros que você tem ", disse ela, referenciando a famosa frase do Presidente Reagan ao líder soviético Mikhail Gorbachev", no texto: Lágrima no 'Muro de Berlim'.

Fonte: (Brazilian Times)