Publicado em 15/06/2008 as 12:00am

Um terço de americanos estão irritados com a imigração, mas não com os imigrantes

Pesquisa mostra que enquanto 32% expressaram sua "raiva", 27% estão frustrados com a falta de ação do governo

Um terço dos eleitores americanos ainda estão irritados com imigração ilegal, um tema que nenhum dos candidatos presidenciais explorou durante a campanha. Mas os eleitores culpam Washington, e não os imigrantes.

A última pesquisa divulgada pela Rasmussen Reports mostra que junto com 32% que expressaram sua "raiva" há 27% frustrados com a falta de ação. Trinta e nove por cento disseram que este é apenas mais um entre muitos temas que eles têm alguma opinão a respeito.

Oitenta e três por cento daqueles que estão irritados em relação à imigração dirigem a raiva para o governo federal enquanto apenas12% apontam para os imigrantes. Este fato, talvez mais do que qualquer outro, pode explicar como os burocratas de Washington não souberam interpretar o humor do povo em junho do ano passado. Enquanto os senadores pensavam estar resolvendo o problema, os eleitores acreditavam que o governo era o problema.

No geral, a visão do povo americano sobre imigração pouco mudou de um ano para cá. Cerca de 63% dos eleitores insistem ser mais importante assegurar o controle da fronteira do que resolver o status daqueles que já estão no país ilegalmente, contra 28% que têm opinião diferente. Os democratas estão ainda mais divididos do que os demais eleitores, mas 49% concordam que controlar a fronteira é a principal prioridade.

Ao mesmo tempo, 56% dos votantes continuam a ser favoráveis a uma política de receber

bem os imigrantes, permitindo a eles mudar para os Estados Unidos, a não ser em casos de ameaça à segurança nacional, criminosos e aqueles de querem viver às custas do seguro social fornecido pelo governo. Apenas 27% são contrários à vinda de mais imigrantes para o país. Republicanos e eleitores não afiliados a nenhum partido apóiam mais a política de abrir os braços para a vinda dos imigrantes do que os democratas, mas 52% dos que estão com Barack Obama também são favoráveis à vinda dos imigrantes.

Entre aqueles que afirmam ser mais importante garantir o controle da fronteira, 60% são favoráveis a uma política de imigração mais amigável.

Um fator irritante em relação à imigração é a crença de que a maioria dos governantes encoraja os imigrantes a manter a cultura de seus países de origem. No geral, 43% dos americanos acreditam nesta verdade enquanto 32% discordam e acreditam que a maioria dos governantes incentiva os imigrantes a abraçar a cultura americana.
Coletivamente, este dado sugere que o desejo da maioria dos americanos em obter o controle da fronteira é parte de um conceito mais amplo, que é a preservação da cultura americana.

Isso explica a forte oposição dos eleitores à concessão de carteiras de motorista a imigrantes ilegais, e 73% querem que a polícia verifique se os infratores de trânsito estão no país legalmente. Este aspecto também explica o forte desejo popular de exigir que empregadores e locadores de imóveis peçam uma prova de que a pessa está no país legalmente.

No ano passado, o Senado foi forçado a retirar um projeto de lei que a maioria dos senadores gostava, mas que era apoiada por apenas 22% dos eleitores americanos. Os senadores e os intelectuais ficaram atônitos com a oposição pública àquilo que eles consideravam uma reforma "mais justa e abrangente".

O que eles não entenderam é que os eleitores irritados sobre o tema imigratório estão na verdade com raiva do governo e não dos imigrantes. Os Estados Unidos são uma nação de imigrantes e uma nação de leis e a maioria dos americanos quer que estas duas tradições sejam mantidas.

Fonte: (acheiusa.com)