Publicado em 5/08/2008 as 12:00am

Documentos falsos são alvos de investigações na Carolina do Norte

O xerife P. J. Tanner, de Beaufort, na Carolina do Norte, disse que investigadores de polícia irão perseguir amplamente os imigrantes que portarem documentos fraudolentos

 

O xerife P. J. Tanner, de Beaufort, na Carolina do Norte, disse que investigadores de polícia irão perseguir amplamente os imigrantes que portarem documentos fraudolentos. A declaração foi feita logo após ele receber um relatório sobre a contratação de pessoas no condado, aproximadamente uma semana atrás. Auditores descobriram que algumas empresas apresentaram relatórios indicavando altos índices de trabalhadores ilegais.   

Andy Patrick, responsável pela base de dados da e auditoria da “Advance Point Global”, reportou a descoberta para o Conselho de Beaufort County, na segunda-feira (28). Foram auditados 358 estabelecimentos comerciais, e ele classificou os dados como “evidências suficientes, que comprovam registros de documentos forjados”.

Conforme a sua declaração, existe um tipo de dispositivo que está possibilitando o uso desses documentos suspeitos. “Os auditores estavam autorizados a pesquisar os negócios, mas não os trabalhadores”, disse Patrick.

Sua firma começou a auditar as empresas no mês de abril e já pode concluir que, todos esses lugares estavam com reclamações sobre o uso do I-9, uma requisição federal de status imigratório de cada empregado. Os empregadores não tem obrigação de verificar a legitimidade da informação que os empregados usam para preencherem o I-9s, como por exemplo, o nome e o número verdadeiro da carteira social.

Tanner disse estar surpreso com o potencial de violação criminal e envolvimento de mínima auditoria realizada, até então. “Isso indica um problema majoritário, envolvido nessas 180 auditorias já concluidas”, disse.

Sua meta é continuar o processo de investigação e pesquisar todo trâmite que levante suspeitas. “Vamos rever e solicitar documentos, conforme forem necessários para o cumprimento de nossas apurações”, disse Tanner.

As auditorias fazem parte das leis ordinárias que foram criadas para penalizar estabelecimentos que forem autuados com trabalhadores ilegais.

Fonte: (Brazilian Times)