Publicado em 19/09/2008 as 12:00am

Imigração decide futuro de jovem artista

Esta é uma semana crucial para Meynardo Garcia, um jovem mexicano de 18 anos que pode ser deportado, pois é mais um indocumentado dos milhões que existem no país

Esta é uma semana crucial para Meynardo Garcia, um jovem mexicano de 18 anos que pode ser deportado, pois é mais um indocumentado dos milhões que existem no país. Entretanto, seu talento artístico poderá salvá-lo. Sua professora de arte, Jacqueline Sacs, que tem lutado para que Garcia permaneça nos Estados Unidos, comparou seu talento ao de Diego Rivera.

“Ele é até capaz de superar Diego, pois enquanto este foi pioneiro e esteve sempre na vanguarda artística, o trabalho de Meynardo pode repercutir a nível global”, disse Sacs, que ministra aulas de arte a Garcia nos últimos dois anos e conseguiu contratar um advogado para tomar conta do caso.

Garcia ganhou vários prêmios e uma bolsa de estudos de $72,000 dólares para continuar seus estudos no Art Institute de Weston, Flórida. Porém, o seu destino dependerá da ação que tome o juiz de imigração Stephen Mander. A decisão será anunciada nesta Sexta, 19 de Setembro. Ele terá que se apresentar na Corte com sua bagagem e preparar-se para o pior, mas ainda com a esperança de que possa permanecer nos EUA.

À reportagem do BT, ele disse estar tranquilo e confiante em Deus. Garcia não tem familiares nem lugar onde morar em Oaxaca, sua cidade natal.


Advogado acha o caso difícil

 Jorge Rivera, o advogado que representa o artista, explicou que a única possibiliade de salvar seu cliente da deportação é se o juiz decidir fechar o caso administrativamente, o qual “ficaria congelada a deportação”.

“Seria uma medida temporária, porque o caso pode ser reaberto a qualquer momento, ao menos para que Meynardo Garcia possa ficar no país para continuar seus estudos”, explicou o advogado Rivera.

A professora, que considera Garcia como a um filho, disse ter fé no juiz. “Eu o vi atuar. Parece ser um homem honesto e íntegro. Em Maio deste ano, ele deu extensão a um haitiano, tomando uma decisão um pouco fora do comum”.

O juiz pode encerrar o caso e o próximo passo seria pedir às autoridades de imigração uma “ação indeferida”, que é o equivalente a um visto humanitário, que a Agência de imigração outorga em casos de problemas extremos de saúde. “Meynardo não tem nenhum problema de saúde, mas a batalha será convencer às autoridades de imigração de que se trata de um caso humanitário”, adicionou Rivera. Mesmo assim, o advogado está consciente de que existem “poucas possibilidades” de salvar a deportação do jovem, que cruzou a fronteira com sua mãe quando tinha 10 anos de idade. Ele mora numa casa humilde com sua mãe e padrasto na cidade de North Lauderdale, no condado de Broward. Sua mãe ganha a vida numa pequena loja de conveniências e seu padrasto trabalha na construção para manter outros irmãos menores, que nasceram nos Estados Unidos.

Nos últimos dias, Garcia tem desenhado incessantemente. “É a única maneira que tenho de matar o tempo e seguir treinando para desenhar melhor, a fim de me preparar para a Faculdade e estar pronto para o meu futuro”, explicou.

Fonte: (Da redação)