Publicado em 11/12/2008 as 12:00am

Imigrantes ilegais trabalhavam na casa do "Chefão" da Imigração

Segundo os investigadores o empregador era terceirizado e não cumpriu as regras de identificação de funcionários

Traduzido por Magno Assis


Todas as semanas há quase quatro anos, o Serviço Secreto checa os IDs dos trabalhadores de uma empresa de limpeza em Maryland, antes que eles entrem na casa Secretário da Segurança Interna, Michael Chertoff, o Oficial Superior Imigração, o mais alto cargo do setor no país. Porém, não se sabe como o dono da empresa burlou esse sistema.
O proprietário da empresa, James D. Reid, se encontra em uma situação que ele considera especialmente confusa. Em outubro, ele foi multado em US$ 22.880 após os investigadores do Immigration and Customs Enforcement (ICE) dizerem que ele não conseguiu verificar a identificação e preencher formulários I-9 para os trabalhadores. Cinco trabalhadores, que faziam parte das equipes enviadas para casa de Chertoff, não tinham como provar a regularidade no país.
“O nosso povo precisa saber”, disse um empresário do Condado de Montgomery. “A Homeland Security e nossa polícia não conseguem vigiar suas próprias casas. Como eles podem tomar conta das nossas fronteiras?"
Reid admite que ele cometeu erros, mas achou a multa tão excessiva que pode colocá-lo fora dos negócios. Leis de imigração são aplicadas desigualmente - acrescentou- permitindo que grandes empresas permaneçam no negócio, enquanto esmagam donos de pequenas empresas e trabalhadores.

"Ninguém quer colocar a culpa em si mesmo, pois eles preferem colocar a culpa no proprietário da empresa", disse Reid.
Russ Knocke, o porta-voz do Departamento de Segurança Interna, disse que os empreiteiros têm a responsabilidade de assegurar que os seus trabalhadores são legais, e que os empregados que foram enviados à casa de Chertoff foram segurados por Reid. "Este assunto ilustra a necessidade de ampla reforma de imigração, bem como a importância dos instrumentos eficazes para as empresas a determinar o estatuto legal da sua força de trabalho", completou Knocke. Nos delitos de Reid incluem a falta de pedir os IDs para seus empregados e a contratação de ilegais.
A agenda de Reid mostra que Chertoff pagou US$ 185 por visita para limpar sua casa em Maryland. Reid disse que ele pediu os trabalhadores sistematicamente a dar informações pessoais para os agentes dos serviços secretos e assumiu que os trabalhadores foram autorizados, porque foram checados.
Apesar das comparações, o caso de Chertoff parece ser diferente do anunciado na semana passada, em que procuradores federais prenderam Lorraine Henderson, diretora E.U. Customs and Border Protection em Boston, sob a acusação de que ela contratou várias vezes os imigrantes ilegais para limpar seu condomínio.

Fonte: (Washington Post)