Publicado em 13/01/2009 as 12:00am

Igreja nos EUA pede reforma migratória a Obama

A Igreja Católica e ativistas pró-imigrantes pediram ontem ao presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, que promova este ano a reforma migratória

 

A Igreja Católica e ativistas pró-imigrantes pediram ontem ao presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, que promova este ano a reforma migratória.

Ontem, Obama se reuniu pela primeira vez com o presidente mexicano, Felipe Calderón, para discutir os assuntos mais importantes da agenda bilateral, entre eles a imigração.

O bispo de Salt Lake City (Utah) e presidente do Comitê Migratório da Conferência Episcopal dos EUA, Dom John C. Wester, pediu a Obama e a Calderón que juntos lutem contra os abusos cometidos aos migrantes, tanto nos Estados Unidos quanto no México. O prelado pediu ainda que ambos combatam os fatores que obrigam a migrar, ou seja, pobreza e desemprego.

Segundo a Conferência Episcopal dos EUA (USCCB), desde 1994, mais de 4.000 migrantes morreram na tentativa de cruzar a fronteira entre México e Estados Unidos.

Dom Wester pediu que Obama e Calderón trabalhem em prol do desenvolvimento econômico das regiões mais pobres do México e de outras nações latino-americanas, para que os migrantes e suas famílias possam permanecer em seus países de origem, trabalhar e viver de forma digna. A seu ver, a solução a longo prazo não é construir muros nem a militarização da fronteira, mas o desenvolvimento econômico das nações pobres.

Por sua vez, o arcebispo de Denver, Dom Charles J. Chaput, recordou que o tema da migração foi um dos mais debatidos da campanha presidencial: "Nossa Igreja é a favor de uma migração ordenada, de modo que nossas fronteiras estejam protegidas e todo mundo seja respeitado. Trata-se de princípios muito importantes para uma compreensão católica da migração que, em última análise, se enraíza na crença cristã de que nós somo migrantes em busca da nossa pátria celestial".

Fonte: (Radio Vaticano)