Publicado em 23/02/2009 as 12:00am

"A reforma da Imigração virá logo! " afirma Obama

O Presidente Obama afirmou, numa entrevista a uma rádio hispana, que a sua administração está se preparando para um novo round do que ele chama "uma reforma abrangente da imigração"

O Presidente Obama afirmou, numa entrevista a uma rádio hispana, que a sua Administração está se preparando para um novo round do que ele chama “uma reforma abrangente da imigração”.

A Casa Branca confirmou que Obama foi convidado, na semana passada, do programa "Piolin por la Mañana," da Radio Univision, apresentado por Eddie “Piolin” Sotelo. “Então, precisamos ter uma reforma imigratória abrangente”, disse o Presidente aos ouvintes. “Vai demorar um pouco, mas estou completamente comprometido para fazer com que ela aconteça”.

Ele também disse que sua administração planeja convocar as lideranças no assunto, para que possam começar a escrever e detalhar o plano já a partir do próximo mês.

O termo  "Comprehensive immigration reform" passou a ser usado nos Congressos democráticos de Massachusetts, capitaneados pelo Senador Democrata Ted Kennedy e pelo Republicano John McCain, do Arizona, no sentido de se criar um caminho para a cidadania e um programa para trabalhadores convidados, para os mais de 12 milhões de imigrantes ilegais que o governo federal admite viver nos EUA.

Eddie "Piolín" Sotelo, da Univision Radio, usou seu programa de rádio várias vezes para fazer campanha pró-anistia e durante os debates, em 2007, do programa proposto pela dupla Kennedy-McCain, Sotelo começou uma campanha de assinaturas para fazer com que a lei fosse logo aprovada.

Numa caravana nacional, com paradas nas cidades de Albuquerque, Dallas e Chicago, Piolin coletou um milhão de assinaturas, as quais entregou no dia 14 de Junho de 2007, aos membros do comitê hispano, como também cópias aos Senadores Kennedy, Mel Martinez, da Flórida, Robert Menendez de New Jersey, Ken Salazar do Colorado e Arlen Specter, da Pensylvannia.

Piolin, que entrou ilegalmente nos EUA há vinte anos dentro da mala de um carro, tornou-se cidadão americano em maio do ano passado. Em 2005, ele usou seu programa para promover o Primeiro de Maio, dia do Trabalhador (que não é comemorado nos EUA), no qual milhares de imigrantes ilegais foram fotografados marchando com a bandeira do México.

Fonte: (Da redação)