Publicado em 3/04/2009 as 12:00am

Indocumentados geram debate em New Jersey

Um painel estadual sobre leis de imigração foi divulgado na última segunda feira, em New Jersey, com recomendações que incluem a qualificação de pagamentos de anuidades escolares

 

Um painel estadual sobre leis de imigração foi divulgado na última segunda feira, em New Jersey, com recomendações que incluem a qualificação de pagamentos de anuidades escolares para o terceiro grau e privilégios para tirar a carteira de motorista para imigrantes ilegais, assim como a criação de uma comissão pró-Novos Americanos.

O Governador Jon S. Corzine disse que concorda que os imigrantes ilegais, principalmente aqueles que vieram para os Estados Unidos ainda crianças e que freqüentaram escolas públicas, deveriam ser habilitados a pagarem custos estaduais, mais baixos do que o custo normal, nas faculdades públicas estaduais.

Já são 10 estados americanos que permitem que imigrantes ilegais paguem “in-state tuition” e uma proposta similar foi apresentada ao congresso, no caso de New Jersey. O governador Corzine afirmou que a maioria dos imigrantes que vivem no estado já é legalizada, mas que os filhos dos 400 mil imigrantes ilegais “não estão aqui porque querem e sim porque acompanharam seus familiares, portanto, não devem ser discriminados”.

 

“Não dá pro imigrante dirigir sem carteira e sem seguro”

Ele se recusou a comentar a respeito dos privilégios da carteira de motorista para ilegais, dizendo que “esse é um assunto para o governo federal resolver”. Mas, acrescentou que  “há uma falha fundamental em deixar que as pessoas dirijam sem carteira e sem seguro”. “Entretanto”, disse ele, “New Jersey é bem direto em aplicar a lei nas restrições relacionadas às carteiras de motorista. Precisamos mesmo é de uma lei nacional no sentido de identificar melhor essas pessoas, não somente leis estaduais, que não bastam”.

Uma pesquisa recente da Universidade de Monmouth/Gannet de New Jersey afirma que a maior parte da população do estado se opõe à carteira de motorista para indocumentados, assim como o pagamento de taxas estaduais accessíveis nas faculdades. Somente 33% dos entrevistados são a favor da idéia. Em contrapartida, eles são a favor de pagamentos de anuidades mais baixas para os filhos de imigrantes ilegais que vivam no estado.

 

“Vamos re-examinar as leis e parar as batidas da imigração”

O governador Corzine disse que vai pressionar os legisladores estaduais para que aprovem a criação de uma comissão estadual, que deverá fazer de New Jersey um dos poucos estados com uma entidade governamental com foco exclusivo em assuntos imigratórios.  Ele também quer introduzir um re-exame nas diretrizes imigratórias locais, pedindo à polícia que notifique às autoridades quando prenderem alguma pessoa suspeita de ser ilegal. Outro assunto interessante na pauta do governador é a sua posição contrária às batidas realizadas em empresas e fábricas, que frequentemente causam mal estar contra o governo, deixando ainda seqüelas nas relações familiares, quando algum imigrante é preso e deportado sem razões criminosas concretas.

Shai Goldstein, que é diretor executivo da New Jersey Immigration Policy Network, comentou que “as posições assumidas pelo governador ainda não são as ideais, mas já apresentam um novo plano de ação, que podem servir como um modelo nacional”.

 

Fonte: (Da Redação)