Publicado em 7/04/2009 as 12:00am

Juiz dá 10 meses para tia de Obama apelar da deportação

Zeituni Onyango, tia queniana do presidente americano, Barack Obama, recebeu ordem para sair dos Estados Unidos, um juiz de imigração concedeu a ela mais dez meses para apelar da ordem

Seis anos depois que Zeituni Onyango, tia queniana do presidente americano, Barack Obama, recebeu ordem para sair dos Estados Unidos, um juiz de imigração concedeu a ela mais dez meses para apelar da ordem de deportação, informou hoje o jornal “The Washington Post”.

Onyango, a quem Obama se refere como “tia Zeituni” em seu livro de memórias, recebeu uma ordem de deportação em 2004, quando expirou seu visto e teve uma solicitação de asilo negada.

“Louvado seja Deus”, disse Onyango na quarta-feira, em Boston (Massachusetts), quando saiu da audiência, afirmou o jornal.

O juiz Leonard Shapiro, que ordenou duas vezes a deportação de Onyango ao Quênia, aceitou uma solicitação para a audiência sobre seu pedido de asilo seja adiada até 4 de fevereiro de 2010.

O caso de Onyango, que foi a guia de Obama quando este visitou o Quênia há cerca de 20 anos, irritou os que denunciam a imigração ilegal e colocou Obama em uma situação difícil, apesar da insistência do presidente de que ele não intervirá no caso.

Os que defendem os imigrantes ilegais consideram que Onyango, de 56 anos, recebeu um tratamento excepcional, porque não foi deportada após a primeira ordem.

Além disso, a tia de Obama recebeu a possibilidade de duas reaberturas do caso e agora tem mais dez meses para ficar nos EUA até a próxima audiência, em contraste com as deportações sumárias de centenas de milhares de outros imigrantes, segundo os defensores dos imigrantes ilegais 

Fonte: (G1)