Publicado em 8/06/2009 as 12:00am

"Os hábitos terão que mudar", diz novo secretário do ICE

Durante a entrevista, Mr. Morton deixou claro que de maneira alguma o ICE vai parar com as prisões de pessoas ilegais, mas a maneira de conduzir as investigações terá uma mudança

 

“Essa nova estratégia, a de focalizar nosso objetivo em prender empregadores que dão trabalho a ilegais, sabendo de antemão que são pessoas indocumentadas, deverá mudar os hábitos desses patrões”, afirmou John Morton, o secretário-adjunto do ICE, numa entrevista ao site aztarnet.com, na cidade de Tucson, Arizona.

Na verdade, a agência de imigração e defesa territorial está se fixando, pela primeira vez, em correr atrás do trabalho ilegal com uma outra perspectiva. Durante a entrevista, Mr. Morton deixou claro que de maneira alguma o ICE vai parar com as prisões de pessoas ilegais, mas a maneira de conduzir as investigações terá uma mudança:

“Vamos dar mais ênfase na investigação e nos processos contra empregadores. Há milhões de patrões contratando trabalhadores ilegais”, disse Mr. Morton ao site.

De qualquer maneira, o ICE nem siquer possui quantidade suficiente de agentes e investigadores para por fim a esse rolo compressor, que é bom para o lado tanto de quem emprega, por pagar salários mais baixos, como também para o trabalhador imigrante atual, esmagado pela crise econômica em seus paises de origem e que ainda insistem em viver o sonho americano.

O Arizona é o único estado americano que emprega o E-Verify, que  é um sistema de dados baseado na Internet e operado pelo Departamento de Segurança Territorial (DHS), em parceria com a Administração da Segurança Social (SSA), que permite que os empregadores participantes possam verificar eletrônicamente a elegibilidade de empregados recém contratados. As novas contratações são baseadas na validade dos seus números de Social Security.

Ainda há muito o que melhorar no sistema, que em pouco tempo será ampliado para os estados que mais recebem imigrantes e, mais tarde, para todo o país.

Enquanto isso, provar que um patrão tem certeza que está empregando um ilegal ainda é difícil, pois muitos empregados apresentam documentos falsificados até mesmo por profissionais que trabalham na imigração.

As penalidades para os empregadores serão civis e criminais e o trabalho de John Morton é fazer com que a agência seja eficiente para fazer valer as leis e as prioridades do novo plano.

            Um detalhe importante é que o ICE está precisando mesmo de restaurar sua integridade básica e credibilidade perante ao público americano, mostrando que é possível ao governo apresentar um generoso programa imigratório, mas dentro dos parâmetros das leis que regem o país.

            Como se sabe, o sistema nem sempre funciona corretamente e há bastante espaço para as melhorias, pois os coyotes continuam atuando nas fronteiras e todos os dias os imigrantes ilegais continuam chegando ao país.

            Entretanto, as batidas em fábricas e empresas diminuiram bastante.

Fonte: (Da redação)