Publicado em 17/06/2009 as 12:00am

Drama do imigrante Jean Charles vira filme

O longa-metragem Jean Charles, dirigido pelo brasileiro Henrique Goldman e com Selton Mello no papel principal, tem pré-estreia nesta terça-feira no Brasil. O filme conta a história de Jean Charles de Menezes

 

O longa-metragem Jean Charles, dirigido pelo brasileiro Henrique Goldman e com Selton Mello no papel principal, tem pré-estreia nesta terça-feira no Brasil. O filme conta a história de Jean Charles de Menezes, o eletricista mineiro morto com sete tiros na cabeça pela polícia britânica em 2005, na estação de metrô de Stockwell, no sul de Londres.

Mas, segundo Goldman, a tragédia é apenas uma parte da trama. O principal objetivo do filme, segundo o diretor, é contar a história da vida de Jean e de seus primos em Londres. "Apesar de estar tratando de uma tragédia, é um filme alegre", afirma. "É um filme sobre a vida, não sobre a morte." "A intenção com o filme é tentar mostrar o cara que ninguém conheceu", diz Marcelo Starobinas, um dos roteiristas do filme. "Em toda a cobertura da imprensa, Jean Charles ficou famoso só por aqueles poucos minutos em que entrou no trem e foi baleado", acrescenta o roteirista. "Mas muito pouco se soube sobre quem ele era." "Nós optamos por fazer com que o público conhecesse esse personagem, se envolvesse com a vida dele e, a partir desse envolvimento emotivo, compartilhasse essa nossa indignação com o que aconteceu com ele", acrescenta Goldman.


Imigrante

Como milhares de brasileiros que emigram para a Europa e os Estados Unidos em busca de melhores condições econômicas, Jean Charles partiu para Londres em 2002. O brasileiro foi confundido pela polícia com um dos extremistas islâmicos que teriam planejado um ataque frustrado ao sistema de transportes da capital britânica em 21 de julho de 2005. No dia seguinte, Jean Charles foi seguido ao sair do apartamento em que morava e, ao entrar no metrô, foi morto por um grupo especial da polícia londrina. O roteirista Marcelo Starobinas afirma que o filme procura "celebrar" a luta do imigrante em um país estrangeiro. "Jean Charles é um cara que vive essa história do imigrante brasileiro de uma maneira muito icônica, de uma forma muito representativa da média dos brasileiros que estão vivendo no exterior," diz Starobinas. Segundo os criadores, o filme é uma mistura de ficção e fatos reais. "É quase como se, para contar a realidade de um jeito mais profundo, a gente tivesse que inventar um pouco", diz Goldman. "Isso nós fizemos despudoradamente."


Elenco

Além de atores experientes como Selton Mello e Vanessa Giácomo, o elenco também é formado por não-atores, incluindo pessoas que conviveram com Jean Charles, como a prima Patricia Armani, que interpreta o seu próprio papel. "Nunca tinha me passado pela cabeça participar de um filme", conta Patrícia. "Teve aquele lado triste também de ter que relembrar as coisas para poder fazer as cenas. Cheguei a ter até uma certa depressão durante as filmagens. Mas foi muito legal, foi uma experiência muito gratificante mesmo."


De acordo com os produtores, os familiares de Jean Charles terão uma participação na renda do filme. "Nós tivemos um trabalho sempre junto com a família", afirma Marcelo Starobinas. "Nós lemos o roteiro para os primos várias vezes, fomos a Gonzaga (cidade natal da família, em Minas Gerais), lemos o roteiro para o irmão do Jean Charles, explicamos a história para os pais do Jean, aceitamos sugestões, mudamos muitas coisas no filme que desagradavam a família", acrescenta o roteirista. Jean Charles será lançado em circuito nacional no Brasil no dia 26 de junho, mas ainda não tem data de estreia na Grã-Bretanha e nem nos Estados Unidos, aonde o caso foi muito comentado nas comunidades brasileiras.

Fonte: (Da redação)