Publicado em 22/06/2009 as 12:00am

Empregados de fábrica que sofreu batida do ICE buscam apoio

Trabalhadores de uma fábrica de couro em New Bedford que sofreu uma batida do ICE em 2007, enfrentam dificuldades para manterem seus empregos, embora contem com o o apoio de líderes comunitários

 

Trabalhadores de uma fábrica de couro em New Bedford que sofreu uma batida do ICE em 2007, enfrentam dificuldades para manterem seus empregos, embora contem com o o apoio de líderes comunitários.

 

Empregados da Eagle Industries estão recebendo o apoio também de políticos como os senadores John Kerry e Edward Kennedy. O porta-voz  da “Workers United’, Eric Sharfstein, organização de opoio ao trabalhador, disse ao The Boston Channel que também que os empregados estão planejando encontrar como oficiais do exército em Washington D.C e Natick, em busca de apoio e solidariedade.

Batida deu início à crise

Em 2007, a polícia de imigração invadiu a fábrica e prendeu mais de 361 indocumentados que trabalhavam no local.

Ativistas comunitários criticaram a batida por ter causado a desestruturação de várias famílias, uma vez que muitas crianças tiveram os pais presos e deportados. A U.S. Immigration and Customs Enforcement, por sua vez, disse que o episódio foi apropriado e legítimo.

O proprietário da fábrica na época,  Francesco Insolia, foi sentenciado a 12 meses de prisão e teve uma multa fixada em um milhão de dólares após admitir a culpa, e afirmar que sabia que estava empregando imigrantes indocumentados. Após o fato, Insolia vendeu o negócio para a Eagle Industries.

O deputado democrata por Massachusetts, Barney Frank, chamou o fechamento de ‘ absoluta selvageria corporativa’, e disse que ‘comprar uma empresa só para fechar um concorrente, é de uma irresponsabilidade da pior espécie’.

Fonte: (Da redação)