Publicado em 29/07/2009 as 12:00am

Religiosos pedem à governador de RI que diminua repressão à imigrantes

Após desmarcar duas vezes um encontro para discutir possíveis medidas para combater a imigração ilegal em Rhode Island, o governador Don Carcieri é cobrado por religiosos para realizar o evento

 

O Governador de Rhode Island, Don Carcieri, foi cobrado na segunda- feira, dia 27, por bispos católicos para realizar um encontro que visaria discutir possíveis soluções para conter a imigração ilegal no estado.


O Bispo Católico- Romano Thomas Tobin, o rabino Alan Flam e o pastor protestante Donald Anderson e outros 20 religiosos enviaram uma carta ao governador, perguntando sobre a possibilidade do encontro acontecer em breve, cobrando uma rapidez em estabelecer uma data.

“ Todos sabemos que essa carta foi enviada em Janeiro, e estamos quase em Agosto e ainda não obtivemos uma resposta do governador” diz Tobin, que já teria ligado para o governador anteriormente exigindo que se parasse com as batidas do ICE , que visariam prender imigrantes ilegais em Rhode Island.

O porta-voz do governador, Amy Kempe, assumiu que houve atrasos na resposta. “ Trazer todas essas personalidades no encontro tem se provado um desafio, mas o governador está comprometido em encontrar com eles” afirmou a porta-voz.

Segundo estatísticas, em Rhode Island residem entre 20.000 e 40.000 imigrantes ilegais.

Entre as suas polêmicas medidas para combater a imigração ilegal, o governador de Rhode Island, deu poderes à polícia estadual para identificar e prender e encaminhar para deportação imigrantes ilegais. Além disso, seu governo foi ativo em difundir um banco de dados que verifica o status migratório de novos empregados de uma empresa, o E-Verify.

Após receber o chamado para o encontro com os religiosos, que visa abrandar o estilo repressor de seu governo, o governador não conseguiu definir uma data. O grupo de religiosos argumentam que as ordens de fortalecer a procura por imigrantes ilegais tem sido prejudiciais e exageradas.

Fonte: (Da redação)