Publicado em 14/09/2009 as 12:00am

Legisladores focalizam a imigração ilegal

Não há registro de um membro do Congresso fazer o que fez Joe Wilson. A certo ponto do discurso sobre a reforma da saúde, o Presidente Barack Obama atacou os que estão distorcendo fatos

 

Por Phydias Barbosa


Não há registro de um membro do Congresso fazer o que fez Joe Wilson. A certo ponto do discurso sobre a reforma da saúde, o Presidente Barack Obama atacou os que estão distorcendo fatos e deu o exemplo da cobertura dos imigrantes ilegais.

Houve um coro de murmúrios dos republicanos, seguido de um frenético aplauso democrata. Mas quando Obama retomou a palavra, ouviu-se um claríssimo "you lie" ("você mente"), que levou a líder democrata Nancy Pelosi e o vice-presidente Joe Biden a virarem a cabeça, chocados.

Não há memória de um insulto durante um discurso presidencial no Congresso. O autor da proeza, o congressista republicano Joe Wilson venceu por escassa margem na Carolina do Sul em 2008. Wilson pediu desculpas e Obama as aceitou.

 

A reforma

Os senadores disseram que obrigaram a comissão de saúde a trabalhar num dispositivo da lei para a verificação de status legal antes de um indivíduo poder obter a cobertura.

"Nós sempre estivemos presentes nessas discussões e temos que ter certeza de obter o processo correto na linguagem", disse a senadora Olympia Snowe, Republicana de Maine, membro do grupo chamado de Gang of Six dos três republicanos e três democratas que Baucus está liderando.

Entretanto, a verificação do status legal de cada imigrante é complicada e muitos congressistas democratas têm medo de que a rechecagem mantenha os imigrantes legais fora dos planos de saúde. Por isso, eles rejeitaram as tentativas republicanas de adicionar requisitos de verificação.

Os negociadores adiaram a discussão da questão da imigração ilegal até segunda-feira (14) e disseram que os assessores estariam trabalhando no texto durante o fim de semana.

A sessão de sexta-feira foi centrada, principalmente, sobre como uma expansão do Medicaid afetaria os estados e sobre as posições possíveis na manutenção de custos baixos quando houver negligência médica.

Max Baucus também afirmou que "Óbviamente, nós vamos encontrar quem quer apoiar o projeto de lei e quem não quer". "Estou esperançoso de que haverá apoio bipartidário. E eu vou continuar trabalhando para isso."

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)