Publicado em 21/09/2009 as 12:00am

Sindicato faz caminhada pela reforma imigratória

Obama promete começar a se movimentar para que a reforma venha logo

Por Phydias Barbosa


O proeminente Sindicato "Employees International" realizou ontem, 20 de setembro, em Minneapolis, uma passeata a favor da reforma da imigração, com o objetivo de colher assinaturas para uma petição a ser enviada ao presidente Obama. Os participantes não querem perder seus empregos e têm receio que (a reforma) os deixe de fora. 

A administração Obama tem dado sinais que pretende reforçar as leis de imigração sem a intenção de realizar batidas e "blitz" no ambiente de trabalho, mas auditoriando os formulários de empregos, conhecidos como I-9.

Em contrapartida, milhares de americanos insatisfeitos com os últimos acontecimentos e citando a recente queda do ACORN, se posicionam diariamente contra a reforma, dando panos para as mangas de alguns manifestantes que se colocam também contra o censo 2010.

 

Sindicatos querem mesmo é o dinheiro do associado


A economia em queda traz um dado importante: os sindicatos estão se transformando em colaboradores dos imigrantes, porque no fundo não estão preocupados de verdade com a reforma e sim em recolher mais dinheiro para seus cofres com o pagamento das mensalidades de seus (novos) associados. Na história americana, poucos sindicatos se preocuparam com indocumentados.


Para ilustrar o artigo, é bom lembrar que grupos de extermínio, tentando imitar os infames Minutemen da fronteira têm atacado e mesmo matado ilegais que tentam atravessar a fronteira com o México. No último sábado, por exemplo, policiais mexicanos informaram que um grupo tentava fazer a travessia e foi atacado por uma dessas gangs, resultando na morte de um Equatoriano.

O fato aconteceu na cidade de Comitan, no estado de Chiapas. Os atiradores seguiram um caminhão ao longo da estrada e abriram fogo. Seis outras pessoas ficaram feridas, inclusive o coyote que as conduzia. Essas gangs tentam arrancar dinheiro dos imigrantes. Quando não encontram o cash, ameaçam as suas familias.

 

Programa de TV

Enquanto isso acontecia, em Washington, Obama prometia começar de fato a se movimentar em função da tão esperada reforma. Ele afirmou, entretanto, que os trabalhadores sem documentos não serão incluidos na reforma da saúde que está tentando fazer passar no Congresso.

No programa "Al Punto", da cadeia Univisión, ele disse que se os imigrantes ilegais quiserem comprar seguro, que negociem direto com as seguradoras. E comentou que os filhos de residentes legais deverão ter acesso ao plano. Ele também comentou que a revisão das leis de imigração é complicada e deve demorar, "mas não tenho idéia de quando ficará pronta".

Isso, então, faz com que manifestantes insatisfeitos queiram boicotar o censo 2010, para forçar o congresso a sair com uma lei de imigração já, o que vem gerando polêmicas em todo o país.

 

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)