Publicado em 7/10/2009 as 12:00am

Indocumentados serão confinados de acordo com sua periculosidade

Antigos hotéis, pensões e casas de repouso seriam utilizados para reter imigrantes indocumentados que não sejam criminosos ou violentos, como parte de um plano mais amplo para reformar a detenção de ilegais, proposta pela secretária de Segurança Territori

 

Antigos hotéis, pensões e casas de repouso seriam utilizados para reter imigrantes indocumentados que não sejam criminosos ou violentos, como parte de um plano mais amplo para reformar a detenção de ilegais, proposta pela secretária de Segurança Territorial.

Janet Napolitano está sugerindo que os imigrantes ilegais à espera de deportação sejam confinados segundo o risco que possam representar. O plano detalhado da secretária foi apresentado ontem, 6 de outubro, à tarde. As reformas foram mencionadas anteriormente pela agência, no último mês de agosto. Mas, agora, saem os detalhes.

O plano se baseia numa revisão de procedimento na detenção dos imigrantes, por parte de Dora Schriro, ex- assessora de Napolitano para o assunto. Ela renunciou à sua posição no mês passado, para converter-se em responsável pelos cárceres de Nova York.

Antigos hotéis e casas de repouso servirão de prisão doméstica

De acordo com o plano, a agência de Imigração e Alfândega (ICE), que pertence ao Departamento de Defesa Territorial, vai desenvolver uma forma de selecionar e classificar os imigrantes ilegais detidos, a qual, por sua vez, determinará a instalação a qual devem os detidos permanecer.

O ICE passa a classificar os detidos, o que determinará aonde ficará preso o indocumentado

O diretor do ICE, John Morton, está encarregado de achar os hotéis e outros locais aonde poderiam ficar detidos os ilegais que não são delinqüentes e nem violentos. A agência espera economizar dinheiro, na medida em que não irá colocar a todos em cárceres ou prisões locais, estatais ou federais, prática utilizada atualmente.

O ICE também apresentará ao Congresso, nas próximas semanas, um plano para utilizar alternativas à detenção. A agência assinala que as alternativas possíveis custariam 14 dólares por dia, comparado com aproximadamente 100 dólares diários por detenção.

A agência completou uma das reformas anunciadas em agosto: trasladar famílias para o centro de detenção T. Don Hutto, uma ex-prisão no centro do Texas. A idéia é prender ali as mulheres que se encontram atualmente em três instalações diferentes no estado, economizando 900 mil dólares por ano.

O ICE teria pago 2.8 milhões de dólares mensais ao local quando ainda era prisão.

Fonte: (Da Associated Press, tradução Phydias Barbosa)