Publicado em 3/11/2009 as 12:00am

5100 cruzes para lembrar os imigrantes mortos na fronteira

Grupos de direitos humanos colocaram 5100 cruzes na cerca que divide a fronteira entre o México e os Estados Unidos, para lembrar os imigrantes que morreram tentando atravessar para os EUA

 

Grupos de direitos humanos colocaram 5100 cruzes na cerca que divide a fronteira entre o México e os Estados Unidos, para lembrar os imigrantes que morreram tentando atravessar para os EUA. Como parte das comemorações do Dia dos Mortos, ativistas colocaram as cruzes e um cartaz com flores na cerca da cidade de Tijuana, na fronteira com a Califórnia, numa tentativa de sensibilizar o público sobre os riscos enfrentados pelos imigrantes.

A cerimônia foi conduzida pelos membros da "Coalition for Migrant Advocacy", que fornece ajuda para as pessoas que procuram emigrar, na véspera do Dia de Finados. Comemorado no dia 2 de novembro, o "finados" é parte de uma tradição mundial, que considera que as almas dos mortos voltam à Terra para conviver com os vivos.

"É importante sensibilizar a população para perceber que 5.100 imigrantes morreram em 15 anos da operação Guardian", disse Siu Esmeralda, que representa a coligação, com base em dados próprios. "Este número não inclui  restos humanos encontrados no deserto, ou os corpos encontrados em território mexicano", disse ela, referindo-se a operação lançada em 1995 pelos EUA, numa tentativa de deter as travessias ilegais.

Para Mari Galvan, Assistente Social do Abrigo para Mulheres Madre Assunta, a questão dos imigrantes e dos abusos que sofrem, foram agravados. "Antigamente, os (imigrantes) que tentavam atravessar a fronteira, sofriam pelas condições meteorológicas extremas, mas agora há bandos de ladrões, assaltantes, seqüestradores e policiais de patrulha que lhes dão um tratamento desumano", disse ele.

Entre os voluntários que ajudaram a pendurar as cruzes na cerca, encontra-se Regino Perez, de 32 anos, que é um imigrante originário de Tapachula, Chiapas. Perez foi expulso há um ano atrás, durante uma batida em seu trabalho, em Washington, depois de passar 12 anos como imigrante ilegal nos Estados Unidos. O governo mexicano estima que cerca de 350.000 mexicanos emigram para os Estados Unidos anualmente.

Fonte: (Da Associated Press, tradução de Phydias Barbosa)