Publicado em 6/11/2009 as 12:00am

Senado bloqueia questão sobre cidadania no Census

Proposta pelo senador republicano pela Louisiana, David Vitter, o medida foi rejeitada em votação realizada no senado nessa quinta ? feira (05)

 

O senado norte-americano bloqueou nessa quinta –feira ( 05), uma questão proposta para o questionário do Census 2010, perguntando se  a pessoa seria ou não cidadã do país. Apresentada pelo senador republicano da Louisiana, David Vitter,  a questão visava excluir  os não-cidadãos da contagem total da população que definiria o número de congressistas por cada estado.

Críticos dizem que o plano do senador republicano pode ter desencorajado boa parcela dos imigrantes a responder o censo, além de aumentar bastante os custos do projeto. Eles afirmam que a definição do número de cadeiras no congresso para cada estado é baseada no número total de residentes, independente se eles são cidadãos ou não.  

As informações colhidas pelo censo também são utilizadas para a distribuição das verbas federais aos estados e municípios. “ O plano vigente é definir o número de cadeiras no congresso pelo número total de  residentes, sejam eles cidadãos ou não. Eu sou contra, porque na minha opinião, vai de encontro com a missão da constituição de representar os cidadãos do pais” disse o autor do projeto, Vitter, em entrevista à agência Associated Press.  Se o projeto do senador tivesse sido aprovado,estados com pouco percentual de imigrantes residentes iam ganhar mais cadeiras no congresso americano.

Com um grande número de imigrantes indocumentados residentes, estados como a Califórnia ,Texas e Massachusetts, poderiam sofrer sérias perdas políticas, pois não teriam as populações não-cidadãs contadas para definir o número de cadeiras no congresso.

O senador Vitter afirmou que se os indocumentados forem excluídos da contagem, Louisiana e outros 8 estados irão manter ou  ganhar mais cadeiras no congresso. Serão eles : North Carolina, South Carolina, Oregon, Pennsylvania, Mississippi, Michigan, Iowa e Indiana.

O diretor do Census Bureau, Robert Groves, se opôs à proposta e recentemente disse que a sua conseqüente aprovação poderia atrasar e atrapalhar imensamente  contagem decenal. A votação para a proposta foi de  60 contra e 39 a favor, barrando a inclusão da questão.

Fonte: (Da redação)