Publicado em 16/11/2009 as 12:00am

Jornalista anti-imigrante pede demissão da CNN

O extrovertido jornalista vai enfrentar novos desafios

 

Surpreendendo seus telespectadores, o apresentador da CNN, Lou Dobbs, renunciou de seu cargo (com o programa no AR), na quarta-feira, 11 de novembro, após seus recentes comentários controversos sobre imigração, entre outros temas, que geraram protestos de diversos grupos liberais, causando atritos profissionais na famosa rede de TV.
Dobbs disse que o presidente da CNN-USA, Jon Klein,  resolveu cancelar seu contrato, para que ele pudesse buscar outras oportunidades. Ele não ofereceu detalhes, mas sugeriu que está buscando uma profissão na qual não será impedido de falar livremente.

"Nos últimos seis meses, tornou-se cada vez mais claro que fortes ventos de mudança começaram a acontecer neste país e isso afeta a todos nós", disse Dobbs, ao iniciar seu programa diário. "Alguns líderes da mídia, da política e diversos homens de negócios me pediram para ir além do meu papel aqui na CNN.  Pediram, também, para que eu me empenhasse em ajudar na resolução construtiva de problemas, bem como a contribuir positivamente para uma melhor compreensão das grandes questões do nosso dia-a-dia. E continuar a fazê-lo na linguagem mais direta e honesta possível".

 

O website AllYourTV.com informou que o antigo âncora está considerando uma proposta política, talvez até mesmo para se candidatar a presidente do país.

Dobbs trabalhou na CNN por mais de 25 anos, desde a sua criação, em 1980. Como um dos âncoras originais da empresa, ele fez a cobertura do setor de negócios e finanças por 19 anos e dirigiu a rede CNNfn, co-irmã da CNN, antes de sair abruptamente, após uma briga com o então presidente da rede, Rick Kaplan.

Depois de iniciar um site de notícias astronáuticos chamado Space.com, Dobbs retornou à CNN, em 2001, e logo foi mostrando seu lado populista meio fora de moda, o que não casava com o interesse da rede, que tenta se basear sua comunicação no campo neutro. No "Lou Dobbs Tonight", ele criticou os imigrantes ilegais e levantou questões sobre a validade da cidadania do presidente Obama.

Sua ousadia criou uma fonte de tensão dentro da CNN, especialmente porque o canal procurava enfatizar uma forma jornalística diferenciada do tipo de comentário partidário, caracterizado em horário nobre, pelas redes Fox News e MSNBC. Alguns meses antes, Klein havia discutido com Dobbs, pedindo para que ele não estabelecesse opiniões partidárias em seu show, algo com o qual ele concordou em fazer. Mas esse acordo, aparentemente, mostrou-se insatisfatório.

Na semana passada, Klein elogiou o âncora "sem medo e sem descanso" que adotava "algumas das histórias mais importantes e complexas do nosso tempo". "Todos nós vamos perder seu apetite por grandes ideias, o seu sorriso e a sua presença cheia de vida que  trouxe para a nossa redação. Estamos gratos por ter conhecido e trabalhado com ele ao longo dos anos", disse o presidente da CNN, em um comunicado . "Com franqueza característica, Lou decidiu agora carregar a bandeira do jornalismo de opinião para outra rede de comunicação."

Fonte: (do site da CNN.com e jornal Los Angeles Times, tradução Phydias Barbosa)