Publicado em 14/12/2009 as 12:00am

ICE prende indocumentados com antecedentes criminais

Agentes federais da Califórnia prenderam quase 3 centenas de estrangeiros com antecedentes criminais, a maioria por delitos graves, na maior apreensão no estilo até hoje, segundo os funcionários da imigração confirmaram na sexta-feira, 11 de dezembro

 

Agentes federais da Califórnia prenderam quase 3 centenas de estrangeiros com antecedentes criminais, a maioria por delitos graves, na maior apreensão no estilo até hoje, segundo os funcionários da imigração confirmaram na sexta-feira, 11 de dezembro.

 

A operação levou três dias e deixou um saldo de 278 delinquentes presos ou deportados e em processo de deportação - a maioria mexicanos e centro-americanos.

 

Mais de 100 desses presos foram apanhados em uma varredura de três dias, que terminou na quinta-feira (10) e já foram expulsos dos Estados Unidos. A maior parte do grupo aguarda processo de deportação imediata.

 

A maior parte das pessoas tinha condenações anteriores por crimes como estupro e abusos sexuais, roubo à mão armada e assalto com arma mortal. 30 deles foram condenados por terem abusado de crianças - informaram as autoridades numa conferência de imprensa.

 

"Estas não são as pessoas que queremos caminhando em nossas ruas", disse John Morton, assistente da Secretária de Segurança Territorial, numa entrevista coletiva em Los Angeles. Ele classificou essa varredura em todo o estado, como a maior operação deste tipo realizada pelo ICE. "E continuará sendo uma das nosssas prioridades para o próximo ano", disse.

 

Mas as últimas prisões representam uma fração dos 136.000 indivíduos expulsos durante o ano passado, no esforço americano para encontrar e remover criminosos graves e foragidos de deportação. O ICE estima que 560.000 "estrangeiros fugitivos" - uma mistura de pessoas procuradas para efeitos de expulsão, que têm antecedentes criminais ou outros problemas - ainda existam no país.

 

Do total de 257 homens e 29 mulheres imigrantes, pelo menos 100 já haviam sido deportados, disseram as autoridades. Outros 10 serão processados por voltar de forma ilegal ao país depois de terem sido deportados, encargo federal que leva a uma sentença máxima de 20 anos de prisão.

 

Os funcionários não souberam informar quantos fugitivos haviam permanecido no país depois de terem sido presos. Mas o número dos casos registrados na blitz desta semana sugere que os números são altos.

 

No norte da Califórnia foram presos 119 imigrantes, seguido por Los Angeles com 96. Nos condados de San Diego e no Vale Imperial, 71. Os imigrantes são de mais de 30 países europeus, da África, Oriente Médio e América Latina, incluindo Bolivia, Guatemala, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Colombia, Cuba, Costa Rica e Panamá.

 

Um dos imigrantes que será processado por reingresso ilegal após ter sido deportado, é o mexicano Ignacio Camacho Madrigal, de 43 anos, convicto por atos lascivos contra um garoto menor de 14 anos, disse a procuradoria federal. Camacho, que reingressou nos Estados Unidos depois de deportado en maio de 2009, foi detido na semana passada, de acordo com o ICE.

 

Na operação, participaram mais de 400 agentes e funcionários do ICE, da policia federal (FBI) e outras agências estatais, federais e municipais.

 

Fonte: (The Associated Press, tradução Phydias Barbosa)