Publicado em 12/01/2010 as 12:00am

Disputa no Senado em MA gera polêmica

A candidata democrata, Martha Coakley, já demonstrou seu apoio à causa imigrante e à aprovação de uma reforma imigratória que forneça um caminho para a cidadania aos milhões de indocumentados que residem no país


Por Marcelo Zicker


Com a proximidade das eleições que definirão o substituto para a cadeira de Ted Kennedy no senado federal norte-americano, os candidatos já evidenciam as principais diferenças com relação a temas relevantes para a comunidade brasileira dos EUA. Reforma Imigratória, a Reforma da Saúde e a concessão de Driver’s License e In-State Tuition para indocumentados são questões polêmicas e já dividem  opiniões entre a  candidata democrata, a Procuradora – Geral de Massachusetts Martha Coakley , e o candidato republicano, o senador estadual Scott Brown.

A eleição que irá ocorrer no dia 19 de Janeiro, terá a dura função de substituir aquele que um dia foi chamado de ‘Pai dos Imigrantes’, o senador Ted Kennedy, morto no dia 25 de Agosto do ano passado, vítima de Câncer. Kennedy nunca escondeu o desejo de ver uma ampla reforma imigratória aprovada e sempre manifestou seu apoio à projetos em favor dos imigrantes do país.  O estado de Massachusetts conta com um grande número de eleitores brasileiros, o que pode fazer decisiva diferença nas urnas.

Procurada pela equipe de redação do BT, durante as primárias democratas que decidiriam o representante do partido para concorrer à cadeira de Kennedy,  Martha Coakley disse que “ Para aqueles que tem vivido nesse país por anos, cumprindo a lei, pagando seus impostos e contribuindo para a sociedade, eu apoio um caminho responsável para a cidadania desses imigrantes. A Reforma Imigratória já passou da hora de acontecer. Criminosos perigosos e traficantes de drogas devem ser deportados, mas o governo não deve prender nem deportar toda pessoa que está ilegal no país” afirmou em comunicado enviado à nossa equipe.

Já o candidato republicano, Scott Brown, nunca negou sua política anti-imigrante e seu repúdio à uma reforma de imigração que anistie os milhões de imigrantes do país. Contatado pela nossa equipe de reportagem, o senador não ‘estava disponível para falar sobre tais temas’. Em seu site oficial, ele declara seu posicionamento sobre as questões. “ Eu reconheço que a nossa força como nação está na experiência da América com os imigrantes. Os imigrantes legais são bem-vindos nesse país. Entretanto, nós temos leis federais que não permitem e encorajam a imigração ilegal.  Oferecendo Drive’s License e In-State Tuition para imigrantes ilegais, estaremos agindo como um ‘imã’  para mais pessoas entrarem aqui violando a lei, o que pode impor duros custos aos contribuintes. Eu me oponho à anistia, e acredito que nós devemos reforçar a segurança na fronteira,  e instituir um sistema de verificação de emprego, com sanções para as empresas que contratam imigrantes ilegais” afirma.

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)

Top News