Publicado em 31/03/2010 as 12:00am

Descuido coloca brasileiras nas mãos do ICE

A mineira Simone Fernandes, de 34 anos, e a capixaba Adriane Lopes de Almeida, de 32 anos tinham Côrte de Imigração pendentes, e permanecem detidas, esperando pela deportação.

 

Por Marcelo Zicker


Na noite de domingo (28), duas brasileiras foram presas pelo US Immigration and Customs Enforcement – ICE,  em Everett – MA, após dois episódios distintos ocorridos na cidade. A mineira Simone Fernandes, de 34 anos, e a capixaba Adriane Lopes de Almeida, de 32 anos tinham Côrte de Imigração pendentes, e permanecem detidas, esperando pela deportação.

Aproximadamente às 9 horas da noite do dia 28, Simone e sua amiga Samantha, saíram do trabalho para seguir em direção ao show do cantor sertanejo Leonardo, ocorrido em Revere. Com um dos faróis dianteiros do carro queimado, elas foram paradas por uma viatura policial próximo ao limite entre Malden e Everett. Ao verificar que a motorista Samantha não possuía habilitação de Massachusetts, o policial pediu identificação de ambas, verificando que Simone teria uma Côrte de Imigração pendente. Acionado, o ICE foi ao local para efetuar a prisão da mineira. Apesar de indocumentada,  Samantha não ‘devia Côrte’,  e foi liberada instantes depois. “ A Simone me ligou hoje de manhã e me disse que ofereceram duas alternativas para ela. Ser deportada voluntariamente ou permanecer presa e tentar uma apelação na justiça durante 6 meses. Ela deverá optar pela deportação, segundo me disse” afirma uma amiga próxima da brasileira, que prefere não se identificar. “Ela me confidenciou que permaneceu na viatura do ICE por mais de duas horas, enquanto eles conversavam parecendo planejar alguma operação seguinte” completa ela, desmentindo boatos de que se tratou de uma batida ou ação planejada. “ Sabendo da sua pendência com a justiça do país, essa brasileira não se precaveu em adotar uma postura mais cuidadosa e preventiva,  estando agora prestes a ser enviada de volta para casa por um descuido que já levou muitos brasileiros à mesma situação” opina um dos brasileiros que testemunhou a presença do ICE nas ruas de Everett, fazendo referência ao motivo que levou as duas a serem paradas pela polícia.

Já o caso envolvendo Adriane, continua envolto de mistério. O seu namorado, que também prefere não se identificar, afirma que o carro no qual estavam, foi parado diretamente pelo ICE, que dava pistas de já estar planejando a ação para capturar a capixaba. “ Logo que saímos de carro, percebi que estávamos sendo seguidos por um carro grande, preto e com vidros escuros. Após virar em uma rua que corta a Broadway da cidade, eles acionaram as luzes da sirene, saindo do carro já procurando pela Adriane. Perguntaram até mesmo acerca do filho dela, de 13 anos, que também é indocumentado no país” relata o brasileiro, que estava dirigindo o veículo no momento do episódio e que já é legal no país. “Assim que verificaram que era realmente o nome que eles estavam procurando, eles já algemaram ela e a botaram no camburão” continua, revelando que Adriane trabalhava limpando casas.

Segundo o namorado da vítima, tudo pode ter sido armação de outros brasileiros, que vêem na contribuição com o ICE, uma boa maneira de se legalizarem. “ Tenho quase certeza que alguém denunciou ela, de forma desonesta e buscando alguma ajuda para ficar legal no país. Não tenho dúvidas que tem algum brasileiro mal caráter envolvido na prisão da minha namorada” desabafa. A afirmação joga luz sobre  o recente caso envolvendo a empregada doméstica Fabiana Bittencourt, que ajudou a incriminar a sua patroa, a diretora do ICE, Lorraine Henderson, condenada semanas atrás pela justiça americana por contratar a brasileira para limpar a sua casa.

A nossa equipe de reportagem tentou o contato com a assessoria de imprensa do ICE, mas até o fechamento dessa edição não conseguiu informações oficiais acerca da operação.


Fonte: (Da redação)