Publicado em 14/04/2010 as 12:00am

Janet Napolitano afirma : 'Somos uma nação de imigrantes!'

Em seminário ocorrido na Harvard University em Cambridge ? MA, nessa quinta ? feira(15), a Secretária do Departamento de Segurança Nacional (Homeland Security), Janet Napolitano, afirmou que espera que uma reforma no setor de Imigração

 

Por Marcelo Zicker

 

Em seminário ocorrido na Harvard University em Cambridge – MA, nessa quinta – feira(15), a Secretária do Departamento de Segurança Nacional (Homeland Security), Janet Napolitano, afirmou que espera que uma reforma no setor de Imigração  seja prioridade no congresso a partir de agora, após a conturbada aprovação da Reforma da Saúde.

Ocorrido no Institute of Politics da Universidade,  e inicialmente planejado para discutir os meios de combater o terrorismo no país, o seminário foi sendo redimensionado ao tema da Imigração após ser dada a oportunidade para alguns alunos de realizar questões à Napolitano.  “ Você acha justo que tantos imigrantes que passaram quase toda a sua vida no país, e se consideram parte dessa nação,  sejam privados de adentrar uma universidade e de terem condições para concluí-la como qualquer outro cidadão?” perguntou um jovem estudante. “ É uma situação polêmica e que esbarra com a atual legislação. O ‘Dream Act’ já está em discussão há muitos anos e chegou a hora de levarmos essa questão para o congresso após o fim do impasse envolvendo a Reforma da Saúde” respondeu Napolitano, surpreendendo pelo tom de apoio à causa. “ Pertencemos à uma nação de imigrantes, e tiramos daí muitos de nossos valores e concepções acerca do tema na hora de tratá-lo como uma preocupação” completou.

‘Não estamos atrás dos imigrantes comuns. Queremos os criminosos’ revela

Quando questionada acerca da polêmica envolvendo a divulgação de cotas anuais de deportação ( supostamente estipuladas em 400.000) , ela foi ainda mais contundente no seu posicionamento. “Isso não é uma verdade e não reflete como o ICE trabalha. Estamos atrás dos imigrantes que devem à justiça ou que cometeram algum crime. Nossos agentes não estão autorizados a fazerem batidas com imigrantes comuns, toda ação tem o objetivo de procurar por nomes que confrontaram a lei e a ordem “ esclarece a secretária.

Em determinado momento, um relato foi responsável por gerar silêncio no auditório que assistia ao, até aquele presente momento, confiante discurso de Napolitano. “ Há alguns anos atrás,  eu estava na casa de uma amiga em New Bedford, quando o ICE promoveu uma batida que terminou com os agentes levando uma mãe e seu bebê, que estava sendo amamentado naquele exato momento,  e seus parentes, que incluíam a minha amiga. Eles tinham filhos que tinham nascido aqui e teriam que ir para o Brasil, por seus pais serem indocumentados. Tudo que passava pela minha cabeça era o porque do meu país estar fazendo isso com as pessoas. Você acha justo tratarmos os imigrantes dessa maneira? “ descreveu a jovem, que conseguiu causar um desconforto raro de se ver na liderança máxima do Homeland Security. “ Infelizmente, casos como esse são sempre suscetíveis de ocorrer, e por isso mesmo temos que rever todo o sistema vigente de Imigração, que está claramente corrompido. É preciso que a reforma atue para legalizar aqueles imigrantes que ajudam o país crescer, e que busquemos agir em prol da unificação, de evitar esse desmantelamento  da estrutura familiar. É um desafio que tem que se tornar uma prioridade” replicou Napolitano.

Diretrizes de uma Reforma Imigratória

Durante um de seus esclarecimentos, Napolitano  revelou critérios primordiais para que se execute uma Reforma Imigratória, fazendo referência ao projeto apresentado pelo deputado Luís Gutiérrez.  “ A reforma tem que, fundamentalmente, fazer uma verificação no histórico criminal dos aplicantes, e  gerar um status migratório legal para aqueles imigrantes que tiverem ‘uma ficha limpa’. Após um prazo para que eles demonstrem ser bons cidadãos, eles devem pagar uma multa e contribuir com o processo que gerará a residência permanente” opinou a secretária, que foi muito aplaudida após a conferência de aproximadamente uma hora de duração.

Protestos em frente ao local

O evento também contou com protestos de organizações pró-imigrantes em frente ao prédio que estava ocorrendo o seminário, com faixas pedindo o fim das batidas e com críticas à atuação de Napolitano. Uma das presentes foi a indiana Dimple Rana, que montou a organização Deported Diáspora após a deportação de seu primo e seus dois filhos pequenos. “ Aquilo me chocou de forma que eu não podia conviver com a idéia de que outras famílias estavam sendo brutalmente separadas dessa maneira. Eu me senti na obrigação de agir em favor dessas pessoas” testemunha a indiana.

Fonte: (ABTN - Agência de Notícias Brazilian Times)