Publicado em 14/04/2010 as 12:00am

Senador afirma: A reforma terá que acontecer ainda esse ano!

O senador Harry Reid disse em conferência na última semana que a questão imigratória 'deve entrar na pauta de prioridades do congresso ainda este ano'

Com as recentes manifestações cobrando uma urgência na aprovação de um reforma nas leis de imigração, o assunto voltou a ser pauta no senado nessa última semana. Pressionados pelos grupos que atuam em favor do imigrantes e pelos protestos que tomaram conta do país no último mês, senadores concluem que chegou a hora de tornar o assunto uma prioridade.

É o que declarou essa semana o senador Harry Reid, discursando para uma multidão em Nevada, durante as férias no congresso. “ Nós temos que colocar o assunto de novo em voga, e realizar uma ampla reforma imigratória já!” disse Reid. Ele completou afirmando que ‘deve-se aprovar uma proposta ainda esse ano. Não se pode mais esperar’. O congressista Richard Durbin fez questão de reinterar a opinião do colega durante a conferência.

Para o diretor-executivo da organização America’s Voice, Frank Sharry, o fervoroso apoio é parte de uma planejada estratégia do partido democrata em ano de eleição. “ A antecipação da reforma imigratória para esse ano, poderia causar a sensação nos americanos que os Democratas estão no comando e assumindo a responsabilidade necessária, gerando confiança. Também mobilizará votos dos imigrantes, que esperam ansiosamente que algo seja feito no setor” afirma Sharry. “ Isso poderia forçar os Republicanos a decidir se vão reabrir as relações diplomáticas com os imigrantes que votam, que representam uma parcela cada vez maior de eleitores, ou manter o sentimento anti-imigrante” completou, conforme reportou o blog Sun Sentinel.

A promulgação da reforma da saúde, abriu caminho para a discussão da pauta, que anda esquentando os ânimos dos ativistas pró-imigração, que cobram urgência do governo Obama, que prometeu aprovar a reforma em até 100 dias de administração. Para obter sucesso nas próximas eleições, eles tentam demonstrar ao menos que estão tentando colocar o problema em discussão.

Fonte: (Da redação)

Top News