Publicado em 29/11/2010 as 12:00am

Imigrantes legais podem perder plano de saúde em MA

Aproximadamente 23.000 imigrantes legais, que possuem residência permanente há menos de 5 anos, podem perder a cobertura de saúde até o fim do ano, devido aos cortes no orçamento estadual

 

Aproximadamente 23.000 imigrantes legais, que possuem residência permanente há menos de 5 anos, podem perder um plano de Health Care, que substituiu o antigo Commonwealth Care, até o fim do ano, segundo projetos em trâmite na câmara de deputados do estado. O assunto tem sido tratado com apreensão no meio político do estado, envolvendo muito debate e desacordos entre os legisladores.

O Presidente da Câmara, Robert DeLeo,  declinou de repetidos pedidos para comentar o assunto, e o senador Richard Moore, co-presidente do Health Care Financing Committee, também não quis comentar o assunto à imprensa, nessa semana. O governador Deval Patrick, que afirmou em agosto que  esperava estender a cobertura para os imigrantes legais, comunicou que ainda está procurando uma solução, para uma acordo com os legisladores. "Temos que pensar na coisa certa a se fazer. São pessoas que estão pagando impostos e dando a  sua contribuição ao estado, e eu acho o certo seria oferecer a eles, os benefícios por isso", disse Patrick. "Eu não tenho uma solução ainda. Vou procurar todas as soluções possíveis, disso eles podem ficar tranquilos " continou o governador.

A população de imigrantes em questão - conhecidos como "estrangeiros com status especial", ou AWSS,  sofreram no ano passado a mesma situação de terem a possibilidade de perderem a cobertura do programa. Após uma proposta do governador Patrick de financiar um programa de custos reduzidos, os legisladores concordaram em fornecer US $ 40 milhões para cobertura limitada, cerca de um terço do que foi inicialmente estimado pelo governador para financiar integralmente a população de imigrantes legais. Esse plano limitado, oferecido pela CeltiCare, exclui a cobertura dental, oftalmológica, e de enfermagem qualificada, além de um aumento nas taxas de serviço. O programa então foi reautorizado esse ano, a um custo de $ 60 milhões no orçamento, que segundo especialistas, é insuficiente para manter o programa por 12 meses.

 

Perguntado se planeja apresentar um orçamento suplementar antes do final do ano para estender os cuidados de saúde para os imigrantes AWSS, ele afirma que todas as possibilidades estão sendo avaliadas. "A nossa equipe está trabalhando para ver quais soluções podem existir", disse ele. Republicanos na Câmara dizem que estão esperando para ver os contornos de qualquer proposta de orçamento suplementar, antes de determinar se eles iriam permitir que se aprove.

Ativistas pró-imigrantes tem debatido e pedido aos legisladores que votem um fundo para um programa de Health Care limitado, para que esses imigrantes continuem ter acesso à saúde gratuita. Eva Millona, diretora-executiva da Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition – MIRA, disse que preservar um programa de saúde para os AWSS imigrantes, é ‘ um tema de emergência, e que deve-se trabalhar rápido com o legisladores do estado, para um acordo’.

Fonte: (Da redação)