Publicado em 20/12/2010 as 12:00am

Dream Act é rejeitado no Senado Federal

O projeto foi derrotado por apenas 5 votos. O presidente Obama classificou a rejeição da medida como 'extremamente decepcionante'

 

Após ser aprovado na Câmara Federal de Deputados, o projeto Dream Act foi rejeitado em votação no Senado Federal, por apenas 5 votos, num total de 55 votos a favor contra 39 contra a medida. Seriam necessários pelo menos 60 votos para o projeto ser aprovado.

Com a grande maioria dos republicanos contra a iniciativa, e com 5 votos contra dos democratas, o projeto pode ter seu futuro incerto a partir de janeiro, já que os democratas perderão maioria tanto no senado quanto na câmara de deputados. O presidente Obama classificou a rejeição da medida como ‘extremamente decepcionante’.  “ Uma minoria dos senadores vetou o senado de aprovar o que a grande maioria entende ser o melhor para o país. Não existe razão alguma para esse projeto não ter passado” disse Obama.Parte superior do formulário

"Este é um dia negro para a América'', disse Jorge-Mario Cabrera, porta-voz da Coalition for Humane Immigrant Rights of Los Angeles ao jornal Boston Globe. "O Senado jogou fora toda uma trajetória de trabalho duro e árduo de milhares e milhares de estudantes que amam este país como sua própria casa. E na verdade, eles não têm outra casa” afirmou. Ativistas em prol dos imigrantes latino-americanos esperavam que o projeto pudesse ser um sinal sobre uma ação mais ampla de Obama e do Congresso para ceder um caminho da legalização para os 11 milhões de imigrantes indocumentados no país.

A medida é  orientada para legalizar aqueles imigrantes trazidos quando crianças ao país, eque em muitos casos, consideram-se norte-americanos, falam Inglês, e tem poucos laços afetivos em seus países de origem. "Eles estão nas salas de aula e juram lealdade à nossa bandeira'', disse o senador Dick Durbin, democrata de Illinois, principal patrocinador do projeto. "Este é o único país que eles conhecem e reconhecem''completou.

Os críticos chamam a iniciativa de uma ‘anistia disfarçada’,  que incentivaria mais estrangeiros a vir para os Estados Unidos, na esperança de serem legalizados.  "Tratar os sintomas do problema pode nos fazer sentir melhor. . . mas não podemos deixar que o problema crie metástase e se prolifere'', disse o senador Jon Kyl, republicano do Arizona.

A legislação poderia ter fornecido um caminho legal para aproxidamente 2 milhões de jovens indocumentados que foram trazidos para os Estados Unidos antes dos 16 anos e que estão aqui há pelo menos cinco anos, se formaram no colegial ou ganharam um grau de equivalência, e que tenham ingressado no colégio militar ou estão cursando o segundo ano no College.

Fonte: (Da redação)