Publicado em 21/01/2011 as 12:00am

Obama intensifica pressão a empregadores de imigrantes

Quando se esperava um governo maleável e menos perseguidor aos imigrantes, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, é considerado o que mais aplicou leis contra a imigração ilegal. Nesta semana,

Quando se esperava um governo maleável e menos perseguidor aos imigrantes, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, é considerado o que mais aplicou leis contra a imigração ilegal. Nesta semana, mais uma notícia mostrou que o caminho adotado por ele é “pressionar”. De acordo com uma nota emitida pela assessoria de imprensa, nas próximas semanas acontecerá uma rigorosa fiscalização aos empresários e comerciantes que contratam imigrantes indocumentados.

Durante uma entrevista, John Morton, chefe de uma das unidades do Homeland Security, afirmou que uma equipe será designada para realizar auditorias e inspeções, principalmente nas grandes empresas. Segundo ele, o objetivo é checar a legalidade das contratações do quadro funcional. “Para isso foi criado um escritório exclusivo para agir sobre este assunto”, afirmou.

Este escritório será formado por especialistas que investigarão documentos e coletarão informações. Em 2010, o ICE realizou auditorias em mais de 2.740 empresas e foram empregados multas de $7 milhões sobre as que contrataram trabalhadores indocumentados. Este número é bem maior que as aplicadas durante o Governo Bush, o que prova que a administração Obama está bem mais rigorosa no combate à imigração ilegal.

Desde que assumiu a briga contra a imigração, o Governo Obama colocou os contratantes de indocumentados como o centro dos ataques e isso gerou prejuízos e polêmica em todo o país. Alguns empregadores afirmam que são obrigados a demitir seus funcionários por algum problema na documentação e depois não encontram outro para suprir a vaga.  O advogado de imigração, Tom Roach, disse que um de seus clientes perdeu mais da metade do seu quadro funcional, no ano passado, devido a uma auditoria semelhante à que está em implantação. “Eles apresentaram documentação que a empresa não sabia discernir se eram verdadeiros ou falsos”, justifica.

Outra preocupação de alguns empresários é receber processos por discriminação, caso levante dúvidas de que um trabalhar legal seja indocumentado. “Não há como sabermos a veracidade dos documentos”, explica o advogado.

Quando a isso, Morton ressaltou que o ICE está procurando ampliar um programa que permita às empresas trabalharem em parceria com o Governo Federal e possibilite a checagem dos documentos. Neste programa, haverá um treinamento para que os empresários saibam utilizá-lo.

Fonte: (Da redação)