Publicado em 13/04/2011 as 12:00am

Xerife de MA não quer esperar assinatura de SC

Joseph McDonald disse que está cansado de esperar que o programa entre em vigor e disse que vai seguir "com suas próprias mãos".

Quatro meses após o governador de Massachusetts, Deval Patrcik, ter prometido que iria inscrever o estado no programa federal “Secure Communities”, que proporciona um trabalho em parceria entre as polícias estadual e local com o departamento de imigração, o xerife do condado de Plymouth, Joseph McDonald, disse que está cansado de esperar que o programa entre em vigor e disse que vai seguir “com suas próprias mãos”.

Ele solicitou às autoridades do departamento de Imigração para participar do programa por conta própria, independente se for ou não implementado no estado.

O “Secure Commuties” permite que as impressões digitais recolhidas pela polícia possam ser enviadas ao departamento de imigração do país e verificadas no banco de dados do “Homeland Security” (departamento responsável pela segurança interna do país). A princípio o programa prevê a prisão e deportação apenas dos imigrantes com antecedentes criminais, mas a possibilidade do desencadeamento de um sentimento racista e anti-imigrante fez com que o Governo realizasse algumas reuniões antes de assinar a parceria, chamadas de audiências públicas.

As reuniões sobre o assunto têm sido acaloradas com a presença de imigrantes e cidadãos norte-americanos contrários à presença de indocumentados no país. Na reunião de Lawrence, os defensores do programa, inclusive membros do Tea Party, se manifestaram a favor da urgência na implantação do “Secure Communities” e a necessidade de capturar e deportar os imigrantes que não têm autorização para estar no país, principalmente àqueles que cometerem algum crime grave.

Rebatendo a afirmação, uma mulher presente nesta reunião disse se levantou e disse que os imigrantes não são criminosos e o programa vai criminalizar as pessoas de bem que querem apenas trabalhar.

Esta preocupação de estereotipar os imigrantes também é sentida pelo governador Deval Patrick. Ele disse, durante uma entrevista ao canal de televisão FOX 25, que “existem uma série de preocupações que foram levantadas nestas reuniões e estamos pensando muito, pois ao assinar este programa poderemos estar dando início à um processo de racismo grande no estado”. Para ele, é preciso pensar no impacto que isso gerará para todos.

A secretária de Segurança Pública do estado, Mary Beth Heffernan disse que está preocupada com a implantação do programa no estado, pois pode gerar uma série de deportação e prejudicar até mesmo a economia. Outra preocupação citada por ela é justamente a perseguição aos imigrantes e não apenas aos criminosos. “Ouvi várias histórias sobre imigrantes trabalhadores que foram abordados por policiais e mesmo sem ter antecedentes criminais foram entregues nas mãos da Imigração”, fala.

O programa tem sido uma pedra no sapato do governador, desde que ele revelou a participação do programa, em setembro do ano passado. Segundo a FOX, o assunto ficou engavetado por um ano até que viesse a tona. Os adversários políticos culpavam o Executivo pela lentidão em assinar o acordo.

Para McDonald fala que esta morosidade já foi longe demais e foi justamente isso que o motivou a procurar as autoridades federais. Ele explica que solicitou do Immigration and Customs Enforcement – ICE a permissão para ativar o programa em Plymouth sem esperar a decisão do Governador. “Estou trabalhando com afinco para ver o programa implementado e assim podermos ajudar o departamento de imigração entregando-lhes os imigrantes procurados”, acrescenta.

Para justificar o fato de estar ao lado de um programa considerado anti-imigrante, o xerife alega que o “Secure Communities” é de bom senso e este compartilhamento de dados permitirá que todos possam conhecer quem são as pessoas que circulam em sua região. “Isso possibilita dar mais segurança às nossas comunidades”, continua.

Existe a possibilidade desta solicitação ser aceita, haja vista que em 2006 Boston aderiu ao programa, quando ainda estava em fase piloto. O comissário de polícia de Boston, Ed Davis, disse que o acordo foi um sucesso. Mas Heffernan afirmou que as autoridades públicas estão fazendo a sua própria avaliação sobre o assunto.

 

Fonte: (da redação)