Publicado em 22/07/2011 as 12:00am

Ação na fronteira evita morte de imigrantes por calor

patrulha fronteiriça dos Estados Unidos está implantando unidades de busca e resgate na região sul do Texas devido ao alarmante registro de imigrant

A patrulha fronteiriça dos Estados Unidos está implantando unidades de busca e resgate na região sul do Texas devido ao alarmante registro de imigrantes que estão morrendo devido a alta temperatura. “Os casos de desidratação envolvendo pessoas que cruzam a fronteira nesta época do ano se tornam comum”, disse Dan Milian, agente de fiscalização no Rio Grande.

Ele disse que se tratam de idosos, crianças pequenas e muitas outras pessoas que tentam cruzar a região. Devido ao intenso calor, grande parte dos imigrantes ficam desidratados durante a travessia e alguns correm risco de morte. “Estas unidades têm como objetivo único localizar, resgatar e ajudar estas pessoas”, ressaltou.

Milian ressaltou, ainda, que alarmes foram instalados e podem ser acionados pelos imigrantes em dificuldades. “Assim que eles tocarem o sinal, uma equipe se deslocará com todos os equipamentos necessário para ajudá-lo.

A região sul do Texas está sofrendo com um período de seca e uma temperatura que ultrapassa 100º F. “Estamos enfrentando um verão extremamente quente e a criação destas equipes de resgates é para ajudar os imigrantes, pois eles continuam a atravessar a fronteira sem serem avisados pelos coiotes sobre o perigo do calor”, fala.

O agente informou que somente neste ano, na região em que ele fiscaliza, já foram encontrados 25 imigrantes mortos e mais de 120 pessoas foram resgatadas desidratadas e algumas delas à beira da morte. “A maioria destas mortes foi devido ao calor, exaustão e desidratação”, continua.

Os imigrantes chegam a caminhar até dois dias pela região até chegar no destino e normalmente os locais por onde eles passam é desprovido de água. Milan explica que com esta seca a situação fica ainda pior. “Estas pessoas arriscam a vida, pois passam sede e fome, além do intenso calor”, ressaltou.

Milian disse que a patrulha de fronteira está cooperando com o Governo mexicano e os Consulados em torno do Texas, no sentindo de educar os imigrantes e mostrar-lhes os reais perigos de atravessar a fronteira ilegalmente nesta época do ano. “Além disso, as pessoas podem se perder, pois existem milhares e milhares de hectares nesta região e tudo parece igual”, finaliza.

Fonte: ( Texto por Luciano Sodré)

Top News