Publicado em 25/07/2011 as 12:00am

ICE desarticula esquema de fraude de documentos

Após cumprimento da pena, os falsificadores enfrentarão um processo de deportação, por estarem em situação irregular no país

Um agente federal, disfarçado de imigrante indocumentado, ligou para uma pessoa identificada por Carlos e solicitou alguns documentos falsificados. Ele disse que estava em um restaurante e que precisava de um Green Card e um Social Security. O falsificador surgiu com os documentos, entrou ao suposto imigrante, recebeu uma certa quantia em dinheiro pelo serviço e em seguida foi dada a voz de prisão. Este caso faz parte de uma investigação iniciada há nove meses pelo Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos para combater o crime de falsificação de documentos, principalmente no sul do país.

O homem identificado por Carlos, na realidade é José Oropeza, e trabalha para Jorge Santiago-Gomez, um dos maiores negociantes de documentos falsos no Condado de Pinellas, na Flórida.

Santiago-Gomez realizava todo o trabalho em um quarto no seu apartamento e a cada três meses mudava de endereço para não levantar suspeita, devido ao grande fluxo de pessoas que o procuravam.

No momento da prisão, o falsificador estava com equipamentos de informática de última geração, imagens de cartões de identificação de vários estados, tais como ID, Green Card, carteira de motorista e Social Security. Ele cobrava, segundo informações obtidas durante as investigações, em média US$150 a US$200 por um pacote com todos os documentos necessários. Estima-se que ele arrecadava milhares de dólares por mês com as falsificações.

Os dois falsificadores estão presos e cumprirão, pena de 37 meses (Santiago-Gomez) e 18 meses (Oropeza). Além disso eles estão em situação irregular no país e após o cumprimento da pena serão removidos para processo de deportação.

Susan McCormick, agente especial do ICE em Tampa, na Flórida, disse que falsificar documentos representa uma ameaça gravíssima à segurança nacional, pois pode proporcionar a permanência de terroristas no país.

Atualmente o ICE mantém várias equipes espalhadas pelo país no sentido de combater o crime de falsificação de documentos.

Fonte: ( Texto por Luciano Sodré)