Publicado em 18/04/2012 as 12:00am

É preciso "muita conversa" para que brasileiros sejam isentos de visto, diz ministro dos EUA

É preciso "muita conversa" para que brasileiros sejam isentos de visto, diz ministro dos EUA

Ainda não há prazo para que o Brasil faça parte dos cerca de 30 países do Global Waiver (localidades com dispensa de visto norte-americano). Segundo o ministro-conselheiro dos Estados Unidos, Todd Chapamn, ainda é necessário “muita conversa” para que os brasileiros sejam isentos do visto.

“Esse foi um tema de discussão entre os presidentes [Barack] Obama e [Dilma] Rousseff, em Washington. Estamos interessados em continuar o diálogo para facilitar a emissão de vistos e discutir os requerimentos necessários para que eventualmente o Brasil chegue a participar desse processo de isenção”, disse.

Os Estados Unidos se renderam ao turismo brasileiro, de acordo com o ministro do Interior norte-americano, Keneth Salazar. Ele explica que a política nacional atual consiste em fazer os brasileiros se sentirem “bem-vindos” desde a chegada aos aeroportos. “O Brasil é um país muito importante. Nossa amizade tem um futuro muito forte e queremos facilitar a vinda dos brasileiros.”

Durante o evento "Oportunidades de Turismo nos EUA", que ocorre hoje (16) na Confederação Nacional da Indústria (CNI), o ministro do Interior dos Estados Unidos destacou os esforços do país para facilitar a entrada dos brasileiros. “Queremos tornar mais fácil a obtenção do visto. Reconhecemos que quando você tem que esperar de três a quatro meses para conseguir o visto, isso acaba sendo um grande impedimento para a viagem.”

Salazar ratificou a abertura de mais dois consulados norte-americanos no Brasil: em Porto Alegre e em Belo Horizonte. Atualmente, há consulados norte-americanos em Brasília, no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Recife. O ministro do Interior dos EUA também destacou a liberação de brasileiros da entrevista individual para obtenção do visto. Menores de 15 anos e idosos não precisam mais passar por esse processo.

Fonte: (DA REDAÇÃO)