Publicado em 25/05/2012 as 12:00am

Brasileiros podem ser deportados por incompetência de advogado

Centenas de imigrantes foram notificados em Massachusetts que seus vistos foram revogados por imprudência do advogado John Dvorak

Centenas de imigrantes foram notificados em Massachusetts que seus vistos foram revogados por imprudência do advogado John Dvorak

Da redação

Enedino Neto pesou que estava tudo bem com a sua situação nos Estados Unidos, desde 2001, depois que ele procurou um escritório de Imigração em Boston, Massachusetts. Na ocasião, muitos imigrantes indocumentados estavam no local em busca de ajuda, em uma corrida frenética para conseguir autorização de trabalho para permanecer no país.

Todos pensavam que o advogado John K. Dvorak era a pessoa certa para resolver o problema. Mas agora, 11 anos depois, Neto está enfrentando um processo de deportação e poderá ser expulso do país. Assim como ele, muitos que estavam nas mãos do advogado passam pelo mesmo problema.

Na semana passada, a licença de Dvorak foi suspensa por 18 meses. Esta decisão partiu do Governo Federal, alegando que o advogado não forneceu informações verdadeiras nas aplicações de seus clientes, para solicitar o Visto de Trabalho.

Pelo que tudo indica, Neto está entre centenas de imigrantes que foram colocados em uma lista de investigação direcionada a clientes de Dvorak. "É extremamente frustrante", ressalta Hannah Kubica, uma advogada de Imigração e que representa Neto e outros ex-clientes de Dvorak. "Estes imigrantes esperam por anos e gastaram milhares de dólares em busca do sonho de se tornar legal no país e agora são injustamente punidos pelo erro deste advogado", continua.

Em 2001, o Governo permitiu, temporariamente, que certos imigrantes tivessem direito de solicitar o Visto de Trabalho, abrindo um caminha para a residência permanente. Mas eles teriam que fazer isso através de familiares ou empregadores, que se apresentavam como patrocinadores.

Os empregadores foram obrigados a certificar que eles queria contratar os imigrantes sem ocupar vaga destinada a cidadãos norte-americanos. Desta forma, os candidatos tiveram que produzir cartas de antigos empregadores em seus países de origem atestando a qualificação do profissional.

Buscando orientações para preencher os papéis da aplicação, dezenas de cozinheiros, faxineiros e outros imigrantes procuraram Dvorak. Somente neste escritório foram centenas de vistos liberados, mas oito anos depois, em 2009, os patrocinadores começaram a receber cartas de autoridades federais dizendo que tinham encontrado informações fraudulentas no processo. As cartas foram consideras como falsas e todos os clientes de Dvoral tiveram os vistos de trabalhos revogados.

Em março deste ano, a Câmara de Apelações de Imigração resolveu suspender as atividades de Dvorak e afirmou que ele não conseguiu gerir sua carga de trabalho e assegurar uma representação competente. A suspensão aplicada a ele é de três anos, mas poderia ser reduzido pata 18 meses, sob regulamentos federais.

Os funcionários do Immigration and Customs Enforcement (ICE) não quiseram se pronunciar sobre o assunte esta semana e nem quantidade de imigrantes que tiveram os seus vistos caçados pela incompetência do advogado. Mas eles garantiram que todos serão colocados em processo de deportação.

Segundo o secretário de imprensa do Departamento de Imigração, Christopher Bentley, "os vistos foram revogados porque existe evidências de que eles foram concedidos de forma indevida". Mas para a grande parte dos advogados de Imigração, o Governo dos Estados Unidos está agindo de forma injusta e deveria punir apenas o advogado Dvorak. "Havia muitas pessoas que foram merecedoras dos Vistos e muitas que não eram", ressaltou Harvey Kaplan, advogado de Imigração em Bosto.

Centenas de imigrantes entraram com ações na Corte Distrital dos EUA, em Boston, na tentativa de conseguir permanecer no país.

Fonte: Brazilian Times